Cultura

Minho está na corrida a Região Europeia da Gastronomia 2016

O Minho e a Catalunha (Espanha) apresentaram hoje, em Ponte de Lima, a um júri internacional as respetivas candidaturas a Região Europeia da Gastronomia 2016, cujos dois vencedores serão conhecidos em maio.

Em causa está o título de “Região Europeia da Gastronomia” que é atribuído, anualmente, pelo Instituto Internacional de Gastronomia, Cultura, Artes e Turismo (IGCAT), a duas regiões distintas.

As candidaturas do Minho, promovida pelo consórcio Minho In que integra as Comunidades Intermunicipais (CIM) do Alto Minho, Cávado e Ave, e a da Catalunha integram um total de nove propostas finalistas.

Hoje, na apresentação formal da candidatura do Minho à Comissão de Avaliação da Região Europeia da Gastronomia, o coordenador executivo do consórcio Minho IN, Francisco Calheiros, afirmou ter as “melhores perspetivas” na candidatura portuguesa, entregue no passado dia 19 de janeiro ao IGCAT, face ” aos argumentos fortes da região minhota”.

“Estamos preparados para insinuarmos a região. Temos um património invejável sobretudo aqui representando pelas três cidades de Viana do Castelo, Guimarães e Braga. (?) Estamos a mapa gastronómico para todo o Minho. Pela primeira vez estamos a juntar o Minho com uma força adicional á roda da mesa. Esse é o nosso trunfo”, sustentou.

Apesar de admitir a concorrência “fortíssima” de regiões como a Catalunha, Francisco Calheiros adiantou que “os pontos fortes” da proposta minhota, que inclui 24 municípios, assentam “na diversidade e riqueza da gastronomia”.

“Nós temos a região mais importante do país em termos gastronómicos. Apresenta uma diversidade enorme não só pelas iguarias que possui porque são oriundas de uma história acumulada de séculos”, afirmou à margem da sessão que decorreu na sede da CIM do Alto Minho, em Ponte de Lima.

Para o presidente da CIM do Alto Minho, José Maria Costa o projeto do território “é bom” porque “nasce do potencial, da qualidade, diversidade e da riqueza” da região do Minho.

Sublinhou que esta candidatura representa ainda uma “excecional oportunidade para promover o Minho em toda a Europa”.

O líder da CIM, que é também presidente da Câmara de Viana do Castelo disse ter consciência da “grande competição” que o Minho vai enfrentar “digladiando-se com grandes regiões europeias”.

“Nós hoje sabemos que o turismo ligado à gastronomia é um fator diferenciador. Acreditamos nos nossos valores”, frisou.

Além do Minho e da Catalunha estão na corrida aquele título a região de North East Brabant (Holanda), Aarhus (Dinamarca), Marseille Provence (França); Riga/Gauja (Letónia); Malta, Sibiu/Transilvânia (Romênia), e Lombardia (Itália).

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo