Opinião

Os meus Heróis!

Há um mês atrás, a sede da revista Charlie Hebdo foi palco de um massacre cobarde, contra cidadãos inocentes, mas também contra a Liberdade.

A discussão a respeito da liberdade de imprensa e da liberdade de expressão, está longe de ter um fim. Está longe do consenso. Qualquer tentativa de debate, há 3 aspectos a ter em conta: a sociedade, a moral e a lei.

Os órgãos de comunicação e/ou os seus comunicadores, estão constantemente a balançar nesta corda bamba. Até onde podem ir pela moral e pela ética, e quando os podem parar, pela lei.

A questão pertinente é que na sátira, estas limitações não são transparentes ao ponto de sabermos quando a brincadeira ultrapassa um desses limites. Foi por cambalearem nesta linha muito ténue, que os cartoonistas morreram, não se sujeitando a pressões, defendendo aquilo que gostava de fazer.

Não obstante as continuas ameaças que eram sujeitos, não suprimiram o instinto criativo.

Estes, para mim, são os meus heróis do momento. São os meus grandes Heróis!

A repressão ou a proibição de qualquer opinião, por mais escandalosa que nos pareça, é sempre um prejuízo para a sociedade, ao impedir a livre circulação de ideias.

Na civilização ocidental, a que todos nós estamos habituados, parece-nos impensável tamanha censura. Que faríamos nós, se sofrêssemos ameaças de morte por cada tweet que publicássemos? Por cada post que escrevêssemos? Continuaríamos? Não me parece.

Faz hoje um mês que todos nós fomos massacrados por este ataque. Que esse dia não fique esquecido. Que tudo não tenha sido em vão.

Charlie Hebdo

Capa Charlie Hebdo de14.01.2015

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo