Opinião

…TEM 100 ANOS DE PERDÃO!!!

Escrevo hoje acerca de um assunto que quase passa em claro aos olhos dos Portugueses. O perdão fiscal ao S.L.B. no valor de 1,8 milhões de euros. Perdão aprovado esta semana em reunião do executivo camarário, com os votos favoráveis da maioria socialista.

Em causa está o perdão de taxas urbanísticas nas imediações do estádio da Luz e nas instalações da Benfica Tv. Isto é, não estão em causa actividades que são do interesse público mas sim áreas comerciais.

Como se justifica tanto sacrifício ao longo dos últimos anos? Como entenderá o comum Português este acto, e outros que tais, que vilipendiam literalmente os cofres do erário público? Vale a pena sermos espoliados mês após mês do pouco que nos resta, para a redistribuição ter esta forma?

1,8 milhões de euros!!! Coisa pouca nos dias de hoje. Trata-se de um simples perdão. Um perdão que, bem publicitado, poderá brevemente “render” uma eleição. Uma eleição igual a tantas outras que já vimos no passado. O preocupante nesta matéria é se este senhor se prepara para “brincar” com os sacrifícios que temos feito. O meu, o teu e o de todos. Exceptuando os do costume…é claro.

Se o país está já capaz de perdões desta grandeza, porque não começar por aqueles que mais sofrem? Por aqueles que mais dificuldades atravessam? Ou será a Capital um oásis neste imensoooooo deserto?

O S.L.B. clube é uma instituição com preocupações sociais. Uma instituição de interesse público que, à sua volta, muito faz pelo desporto e pela integração social. É uma instituição que, pela sua grandeza, gera muito negócio e cria muitos postos de trabalho, seja directa ou indirectamente. Mas não é isso que está em causa. São os negócios. Os restaurantes. Uma estação televisiva própria…enfim, está em causa o interesse económico. Não pode nem deve ser o erário público a suportar isto. Está errado.

Aquilo que desabafo em relação ao S.L.B., faço em relação a todos os outros clubes, mesmo o meu F.C.P. Mas não retiro deste “filme” todos os outros “monstrinhos” criados para sorver os impostos dos Portugueses. Sejam fundações, sejam Empresas Municipais…seja aquilo que for.

Agora, neste momento, dou comigo a pensar…sim porque eu penso. Pouco, mas penso. Será que se eu construir algo sem a devida licença e taxas pagas, amanhã também serei alvo de um perdão??? Será que aqueles que estão em divida com o estado, por terem dificuldades em cumprir, também irão beneficiar de um perdão? Ou devemos ir contraindo divida até umas próximas eleições…aí, quem sabe, novo perdão surgirá!!!!

António Costa o edil que pretende ser 1º Ministro, dá desta forma uma imagem daquilo que muito brevemente voltaremos a passar…porque, queira-se ou não, faz parte do ADN. E no final, entre umas e outras, lá voltaremos todos nós  a ser chamados para pagar…exceptuando os do costume…é claro.

Registem que, na hora de acertar as contas (digo impostos), tanto paga o benfiquista, o portista, ou o adepto de outro qualquer clube. Isto é transversal a todos nós…todos que é como quem diz… OS DO COSTUME.

Vale que esta decisão carece de ratificação em Assembleia Municipal. Espera-se um laivo de consciência…. Será?

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo