Cultura

Partido Ecologista “Os Verdes” reclama obras urgentes em mosteiro de Amares

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) questionou o Governo sobre o estado de degradação do Mosteiro de Rendufe, em Amares, e alertou para a necessidade “urgente” de uma intervenção “profunda” naquele monumento.

“Se há exemplo daquilo que é, ou não é, o investimento na cultura e património do país, então, infelizmente, o Mosteiro de Rendufe pode muito bem ser esse símbolo”, refere o PEV, num requerimento apresentado na Assembleia da República pela mão do deputado José Luís Ferreira.

O PEV alude a promessas incumpridas de intervenção no mosteiro e sublinha que, à medida que o tempo passa, aumenta a degradação do imóvel, “sendo evidente a necessidade de uma intervenção profunda e urgente neste marco histórico e cultural da região”.

Por isso, questiona a Secretaria de Estado da Cultura sobre os ‘timings’ de eventuais intervenções naquele imóvel de interesse público, que desde 2012 é 100 por cento propriedade do Estado.

“Filho” do Mosteiro de Tibães, Braga, o Mosteiro de Rendufe chegou a um avançado estado de degradação, uma situação que começou a ser combatida em 2013, ano que uma das alas do monumento sofreu obras, orçadas em 275 mil euros, para reposição das estruturas das abóbadas e colocação da cobertura.

Posteriormente, a intenção da Secretaria de Estado da Cultura é submeter o mosteiro a obras de fundo, de acordo com os financiamentos conseguidos no âmbito do quadro comunitário de apoio 2014-2020.

Entretanto, a Câmara de Amares já apresentou à Direção Regional de Cultura do Norte propostas para o renovado mosteiro, que passam, nomeadamente, pela conversão da antiga adega, num espaço para prova e promoção de vinho e de outros produtos regionais.

Outra proposta é a instalação, na parte de cima, de uma zona “mais voltada para a vertente cultural”, com capacidade para acolher palestras e conferências, entre outras atividades capazes de atrair a população até àquele mosteiro.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo