Cultura País

Bragança: Diabos de Vinhais atraem estudantes Erasmus para maior desfile mundial do género

Agência Lusa
Escrito por Agência Lusa

Mais de duzentos estudantes Erasmus do politécnico de Bragança vão incorporar o maior desfile de diabos do mundo que encerra, no sábado, em Vinhais, as festas de inverno do Nordeste Transmontano.

O ritual dos “Mil Diabos à Solta” é uma tradição ligada ao início do Quaresma que a Câmara de Vinhais “ressuscitou” com uma maior dimensão e que vai invadir as ruas da vila transmontana, pelo segundo ano consecutivo.

O espetáculo começa a despertar o interesse de gente de fora da região e de outros países, como os estudantes estrangeiros que frequentam o Instituto Politécnico de Bragança e que já reservaram o fato de diabo para o desfile.

“Temos 214 estudantes Erasmus inscritos”, contou à Lusa Roberto Afonso, vereador da autarquia, indicando que se trata de jovens de países desde a Polónia, Rússia, Brasil ou México.

A organização foi também contactada por pessoas do “Porto, Braga, Santo Tirso a pedir para se inscreverem e a reservarem um fato de diabo”.

“Atreva-se a vestir a pele do diabo” é o desafio feito nos cartazes de promoção do evento e aparentemente cumprido, já que, segundo o vereador, já estão esgotados todos os fatos de flanela vermelha disponíveis e estavam disponíveis mais de mil.

Esta é uma tradição única do concelho de Vinhais, enfatiza Roberto Afonso, que recorda que sempre houve este ritual de “duas ou três dezenas de diabos andarem pelas ruas da vila com a morte”, na quarta-feira de cinzas, início da Quaresma.

O município decidiu multiplicar o número para mil e mandou confecionar fatos, que disponibiliza a quem queira participar.

Roberto Afonso garante que este evento “é único no país” e “o maior desfile de diabos do mundo”.

A festa começa, no final da tarde de sábado, com uma missa de Imposição de Cinzas, seguida de uma procissão “…com Mil Diabos!” que acompanha uma Morte de sete metros de altura até à Pedra, local onde as raparigas são purificadas.

Durante o trajeto, já noite, os diabos seguram velas e vão capturando e enjaulando, num carro de bois, as raparigas mais atrevidas que, a partir de varandas e janelas, os forem desafiando.

“É já na Pedra, no Largo do Arrabalde, enquanto as moças se penitenciam de joelhos dizendo ladainhas semipagãs, que se dá a revolta e, a partir da Torre do Castelo, algumas delas ajudam à “Revelação do Rosto da Morte”, num espetáculo de fogo, som, pirotecnia, gaiteiros e uma enorme carga mística, permitindo à assistência ver o que esconde aquele pano negro em volta do rosto da morte gigante”, descreve a organização.

Garantem os antigos que “quem pró rosto da morte olhar, por mais um ano a irá afastar”.

O ritual que pinta de vermelho as ruas de Vinhais termina com “uma ceia dos diabos”, numa tenda que recria o ambiente habitual dos mafarricos, onde será servida uma refeição de excessos permitidos aos mesmos com animação a cargo de gaiteiros, danças e diabruras, asseguradas pelo grupo de teatro do Agrupamento de Escolas de Vinhais, pela Companhia Filandorra e DJ’s.

O concelho de Vinhais abre e encerra as chamadas festas de inverno no Nordeste Transmontano, que começam na aldeia de Cidões com a festa da Cabra e do canhoto, o chamado Halloween transmontano, continuam no Natal, Ano Novo e Carnaval com as Festas dos Rapazes, em que os Caretos são os reis, e terminam com mil diabos à solta.

Comentários

Acerca do autor

Agência Lusa

Agência Lusa