País

GNR apreende diverso material em nove buscas no caso do assalto aos CTT de Braga

A GNR efetuou nove buscas domiciliárias no âmbito da investigação ao violento assalto aos CTT em Celeirós, Braga, registado na quinta-feira, tendo apreendido vário material presumivelmente relacionado com a prática criminosa dos indivíduos entretanto detidos, informou hoje aquela força.

Em comunicado, a GNR refere que nas buscas domiciliárias, efetuadas no sábado em Braga (sete) e em Guimarães (duas) e presididas por um juiz de instrução criminal, foram apreendidos um automóvel, ‘walkie-talkies’, luvas, 50 relógios, chaves de ignição de veículos automóveis, gás pimenta, pés de cabra, gazuas para estroncamento de portas, uma soqueira, gorros, matrículas de viaturas estrangeiras e 400 euros, entre vários outros objetos.

Foram também apreendidos os documentos de um veículo furtado, que já tinha sido apreendido e que terá sido utilizado nos assaltos de que os detidos são suspeitos.

As buscas foram comandadas pela Secção de Informações e de Investigação Criminal (SIIC), apoiada por militares das subunidades territoriais e de intervenção, num total de cerca de 60 militares.

O assalto aos CTT de Braga registou-se no final de tarde de quinta-feira, tendo os assaltantes efetuado vários disparos para o ar, para intimidar os funcionários que ali se encontravam.

A GNR já deteve, na madrugada de sexta-feira, cinco dos assaltantes, com idades compreendidas entre os 26 e os 46 anos e com profissões ligadas à segurança privada.

O juiz de instrução criminal aplicou-lhes prisão preventiva, a mais gravosa das medidas de coação.

Na altura, a GNR apreendeu mais de 15 mil euros, “fruto do roubo efetuado”, além de dois veículos automóveis, luvas, gorros, telemóveis e outro equipamento de comunicações (‘walkie-talkies’), bem como várias munições.

A GNR prossegue as investigações, para tentar localizar outros eventuais assaltantes e recuperar mais dinheiro roubado.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo