País

Eurodeputado vilaverdense condena guerra na Ucrânia e defende diversidade na Europa

O eurodeputado do PSD, José Manuel Fernandes, lamenta a postura da Rússia no conflito com a Ucrânia e defende que a União Europeia (UE) tem respeitado e valorizado a diversidade, fatores que acredita serem essenciais para uma Europa mais forte.
Estas foram ideias defendidas pelo ex-presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, que cumpre o segundo mandato no Parlamento Europeu, durante iniciativa “Viver Outros Mundos – Portugal e Ucrânia”, que decorreu na quinta-feira, 19 de fevereiro, na Escola Superior Agrária (ESA) de Ponte de Lima.

“Como espaço privilegiado de liberdade, tolerância, paz, democracia e, simultaneamente, de desenvolvimento e direitos sociais e ambientais, a União Europeia tem demonstrado que o respeito e a valorização da diversidade é que nos torna mais fortes e constitui uma mais-valia neste mundo global e competitivo”, disse José Manuel Fernandes, de acordo com as declarações disponibilizadas na página oficial do eurodeputado.

José Manuel Fernandes lamentou a posição da Rússia no conflito ucraniano, considerando que a opção bélica tomada por aquele país se apresenta como uma ameaça à paz. José Manuel Fernandes destacou ainda a posição de solidariedade tomada pela UE e os esforços que tem sido efetuados para travar a guerra vivida em solo ucraniano.

“A diversidade é uma riqueza e não pode dar lugar à intolerância. Não são aceitáveis massacres por causa de diferenças, sejam elas de âmbito étnico, cultural, religioso, económico ou social”, considerou José Manuel Fernandes.

A iniciativa, que foi organizada pelos alunos de Gestão da Animação Turística em Espaço Rural da Escola Superior Agrária do Politécnico de Viana em parceria com a Europe Direct – Ponte de Lima, contou com apresentações levadas a cabo pelo grupo de jovens ucranianos “Chapim Azul” que deram a conhecer a história e cultura do país. Houve ainda lugar a um minuto de silêncio de homenagem às vítimas da guerra na Ucrânia e promoveu-se a recolha de agasalhos para enviar para os ucranianos afetados pelo conflito.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo