País

Percursos culturais do Norte do país em exposição no Porto

A Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) vai promover, a partir de terça-feira, na estação de metro da avenida dos Aliados, no Porto, uma exposição sobre cinco percursos da região para estimular a cultura e a economia.

Em declarações à Lusa, o diretor regional de Cultura do Norte, António Ponte, explicou que se trata de “uma instalação que permitirá descobrir a riqueza do património da região perspetivado numa lógica de oferta e de leitura”.

Na prática, o visitante vai tomar conhecimento de cinco percursos que abrangem quatro locais classificados como Património Mundial da UNESCO: o Centro Histórico do Porto, o Centro Histórico de Guimarães, o Alto Douro Vinhateiro e o Sítio de Arte Rupestre Pré-Histórica do Vale do Côa.

“O nosso objetivo é despertar [os turistas] para a possibilidade de estarem mais tempo na nossa região e que isto tenha um efeito de promoção de cultura e de identidade, mas também para o setor económico ligado à hotelaria e à restauração”, referiu António Ponte.

O percurso dos mosteiros a Norte “tem por base uma série de grandes mosteiros situados entre os rios Minho e Vouga e que têm sido objeto de operações de resgate e salvaguarda por parte da DRCN”.

Por seu lado, “o projeto vale do Varosa pretende instalar no vale do rio Varosa (no distrito de Viseu) uma rede de visita beneficiando da concentração de imóveis e elementos históricos de elevado interesse turístico-cultural”, como o mosteiro de S. João de Tarouca, o mosteiro de Santa Maria de Salzedas, a ponte e torre de Ucanha e o convento de S. António de Ferreirim.

Adicionalmente, foi criado um percurso de arte contemporânea a Norte, que vai desde o museu de Serralves, no Porto, aos espaços dedicados a Nadir Afonso, em Boticas e em Chaves, passando também pelo centro Graça Morais, em Bragança.

No caso do percurso Território de Fronteira, este “pretende associar um excecional e diverso património cultural, constituído por igrejas, mosteiros, castelos e sítios arqueológicos, a um território especialmente relevante do ponto de vista paisagístico”, pode ler-se no comunicado sobre a iniciativa.

Por último, foi traçado o percurso da “Natureza… com História”, que abrange “a Via Romana XVIII (Geira), [e] que no seu traçado por Terras de Bouro [no distrito de Braga] – da milha XIV (Santa Cruz) à milha XXXIV (Albergaria), inclui todas as estruturas arqueológicas a elas associadas, como sejam as ruínas das pontes sobre a ribeira do Forno e a ribeira da Macieira, bem como os arranques da Ponte de S. Miguel, esta sobre o rio Homem”.

O diretor regional de Cultura do Norte acrescentou que, no futuro, vai ser possível consultar os vários percursos numa página na Internet ainda por ser lançada.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo