Cultura

Zé Pedro Ribeiro lotou o auditório da Biblioteca Municipal de Vila Verde

A ‘prata da casa’ também tem valor e a prova está à vista de todos. O salão nobre da Biblioteca Municipal de Vila Verde esteve, ao início da noite de hoje, com lotação esgotada para um concerto de Zé Pedro Ribeiro. Mas este não foi apenas mais um espectáculo. O artista vilaverdense escolheu a terra que o viu nascer para fazer a pré-apresentação do ‘(Re)começo’, o seu novo álbum de originais, numa iniciativa inserida nas actividades do Mês do Romance.

«É muito importante fazer este concerto em Vila Verde, na minha terra, onde cresci e onde aprendi a fazer tudo o que vou apresentar em palco. Assim, os vilaverdenses serão os primeiros a ouvir os temas do álbum e é muito bom que o primeiro feedback seja dos meus conterrâneos», avançou o músico ao Vilaverde.net, com um bairrismo saudável que não deixava esconder o orgulho que sente nas suas origens.

Antes do concerto esteve à conversa com o Vilaverde.net. Mostrava a confiança e segurança de quem, apesar da tenra idade, já anda nestas lides há vários anos. No entanto, a tranquilidade misturava-se com um sentimento de expectativa: “Vamos mostrar aquilo em que temos trabalhado recentemente e esperemos que as pessoas gostem”. Com o decorrer do concerto dissiparam-se todas as dúvidas. O público não se fez rogado e, tema após tema, brindou os artistas com chuvas de aplausos. O primeiro single do álbum foi lançado ontem online, mas o resto do reportório foi novidade total para a plateia.

Objectivo: “Tocar no coração das pessoas”

Esta não foi a primeira experiência de Zé Pedro Ribeiro em estúdio. Depois de “um trabalho experimental”, foi tempo para um ‘(Re) começo’. O CD retrata “emoções e histórias de vida”, não só do artista, mas também de muitos dos que o rodeiam. “Espero que as pessoas ao ouvirem se possam identificar e perceberem que não estão sozinhas a sentir aquele tipo de emoções. O maior prazer que qualquer músico pode ter é saber que conseguiu tocar no coração das pessoas”, afirmou. O álbum será lançado em breve, apesar de a data ainda não estar definida, e já é certo que poderá ser adquirido nas FNAC’s de Braga e Guimarães.

Esta paixão de Zé Pedro Ribeiro era praticamente uma fatalidade, já que nasceu num ambiente onde se respirava música. Os pais fizeram parte do grupo Arte e Som e o irmão mais velho (a quem não poupa elogios: “é um músico excepcional”) também não largava os instrumentos. “É comum dizerem-me que transpiro música desde que nasci. Os meus pais tinham uma banda e eu já cantava no palco com eles quando ainda estava na barriga da minha mãe. Isto transmite-se. Não sei se será genético ou se apenas uma espécie de tradição, mas funciona”, referiu.

No entanto, a música não é sua a única paixão. O jovem está actualmente no segundo ano do curso de Enfermagem e pretende continuar a conciliar estes dois amores pela vida fora. “Se algum dia tiver mesmo que optar, vai ser uma decisão muito complicada”, concluiu.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo