Ciência

Mercedes futurista com tecnologia made in Braga

A tecnologia Displax, da empresa bracarense Edigma, foi escolhida pela Mercedes para equipar um autêntico carro do futuro. A gigante alemã avançou um protótipo do F 015 Luxury-in-Motion, que vai deixar os amantes da modernidade e da vanguarda com ‘água na boca’. Todo o interior do veículo é composto por tecnologia touch. Não tem nada que enganar, isto é mesmo o que parece. Com um simples toque, os passageiros podem accionar ecrãs colocados nas portas ou no painel frontal e aceder a livros, filmes, música e a qualquer página da internet. Resumindo, o veículo adquire as características de um smartphone.

Os painéis colocados no interior do automóvel estão ligados a um computador central, que responde aos comandos dos utilizadores, através de tecnologia de última geração. São raras as empresas em todo o mundo a desenvolver o mesmo tipo os produtos fabricados no parque industrial de Adaúfe, Braga. A Mercedes já avançou um protótipo conceptual do veículo que promete marcar a evolução do ramo automóvel, apesar de ainda estar longe das estradas, com conceitos revolucionários como a condução autónoma (piloto automático).

mercedes2

À conquista do planeta

O nome da empresa já correu o mundo e a sua carteira de clientes inclui alguns ‘pesos pesados’ no mundo dos negócios, como o magnata russo Roman Abramovich, dono do Chelsea, clube londrino treinado por José Mourinho. A apresentação do Windows 8, em Londres, também tem a chancela da tecnologia produzida pela Edigma e a BBC também veio ‘beber’ à cidade dos arcebispos a inovação que procurava para os seus noticiários.

Mas o protótipo da Mercedes é apenas uma das apostas da empresa, que pretende continuar a desenhar o futuro, com pinceladas de ouro. O Displax Skin Ultra permite que se conjuguem 100 toques simultâneos num ecrã, com uma capacidade de resposta em cinco milissegundos. “Não vai demorar muito tempo até que isso aconteça. Em breve, os professores vão poder recorrer aos ecrãs interactivos para as crianças fazerem os trabalhos de casa, por exemplo”, avançou Miguel Fonseca ao Jornal Público.  O CEO da Edigma revelou também que a tecnologia desenvolvida em Braga já está adaptada aos LCD, preparando a empresa para estar na linha da frente no momento em que a interactividade chegar aos televisores. Confiante que esse dia não vai demorar a chegar, está já em contacto com gigantes coreanos e chineses que dominam a indústria dos LCD.

 

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo