País

Comissão de Coordenação Regional do Norte é “muito mais do que fundos comunitários”

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), Emídio Gomes, assinalou hoje, na tomada de posse dos novos vice-presidentes, que aquela estrutura está unida e “é muito mais do que fundos comunitários”.

“A comissão de coordenação é muito mais que fundos comunitários, há muito mais vida nesta casa para além da simples atividade de alteridade de gestão e eu tenho trabalhado discretamente, mas sem desfalecimentos, naquilo que é uma certa reunificação de duas CCDR: a CCDR e a outra que geria fundos”, destacou o presidente da CCDR-N.

Emídio Gomes, que falava no “dia zero” do novo programa operacional para a região com a publicação em Diário da República do despacho de transição que encerra formalmente o ON.2 e cria a estrutura do Norte 2020, garantiu que “a casa tem rumo e sabe o que quer”.

“A casa tem uma estratégia definida. Pode não ser do agrado de todos, mas tem. Quando escolhemos o interesse coletivo e o interesse comum, há sempre um ou outro caso que tropeça nesse interesse comum. É a vida”, atirou o também presidente da Comissão Diretiva Norte 2020.

E acrescentou: “a casa é um todo, a relação e a inter-relação das suas direções de serviços e da estratégia desta casa para a região e para o país é uma estratégia que é um todo [do qual] faz parte um instrumento que visa a melhor utilização e a mais adequada dos fundos estruturais”.

Na sequência do despacho dos ministros do Desenvolvimento Regional, Poiares Maduro, e do Ambiente, Moreira da Silva, publicado em Diário da República a 13 de fevereiro, Eduardo Paço Viana (Viana do Castelo) e Carlos Neves (Braga) são os novos vice-presidentes designados para a CCDR-N, que conta também com os vogais Henrique Capela (Vila Real) e Jorge Neves (Bragança).

Carlos Neves, desde setembro de 2011 diretor executivo da Ordem dos Engenheiros, já foi diretor interino da CCDR-N em 2013 e assumiu esta “segunda vida” na comissão como uma etapa na qual pretende o “mesmo sucesso”, trabalhando “em equipa” e “em prol do bem comum”.

Eduardo Viana, desde 2014 diretor geral do grupo Dourogás e ex-diretor regional da Direção Regional da Economia do Norte, defendeu que a região Norte “precisa de políticas claras e estratégias capazes de a fazer progredir” e que “é preciso reforçar o papel da CCDR-N junto dos autarcas” e tecido empresarial.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo