Mundo

Cerca de cinco mil refeições do Minho servidas em nove dias na capital francesa

Som produzido por computador

Cerca de cinco mil refeições representativas da gastronomia de Viana do Castelo e de Esposende vão ser servidas durante nove dias, em Paris, durante a semana da “Gastronomia Portuguesa”, disse hoje à Lusa um empresário envolvido no evento.

Segundo António Camelo, proprietário dos dois restaurantes responsáveis pela mostra gastronómica que começa sexta-feira naquele país, serão servidas, “a cada refeição, uma média de 250 pessoas, pelo que as expectativas poderão chegar às cinco mil refeições” até dia 29.

“O evento ainda não começou e o jantar de abertura, no dia 20 [próxima sexta-feira], bem como o jantar da Academia do Bacalhau, no dia 26, já têm lotação esgotada”, explicou.

Adiantou que partiram esta semana de Braga, com destino a Paris, dois camiões TIR “cheios” de produtos utilizados na confeção dos principais pratos da gastronomia regional “para fazer a vontade” às seis cozinheiras que levou para Paris.

“Em França há muitos produtos de qualidade para preparar as refeições mas as minhas cozinheiras, por uma questão de brio profissional preferem cozinhar com produtos que utilizam no dia-a-dia. Estão habituadas a confecionar os pratos com carnes e cabritinhos da serra D’Arga, com peixe do anzol da nossa costa, e por isso, para lhes fazer a vontade, os dois camiões vão carregados”, garantiu.

Mais de meia tonelada de bacalhau, lampreias dos rios Lima e Minho, mais de 400 quilos de polvo, cerca de 150 quilos de robalo, 300 quilos de galo de “pé descalço” e 56 “cabritinhos” estão na lista de produtos enviados para Paris.

A semana da “Gastronomia Portuguesa” em França decorrerá no Salão Vasco da Gama, nas instalações da Rádio Alfa e da LusoPress, dois órgãos de comunicação social direcionados para as comunidades portuguesas naquele país.

Do menu constam pratos como os rojões à moda do Minho com enchidos da região, arroz de galo de “pé descalço”, o “cabritinho mamão”, o bacalhau à Gil Eannes, arroz de robalo, caldeirada de peixe, entre outros.

“Tivemos de selecionar meia dúzia de pratos, porque era impossível levá-los todos. Acho que vamos representar bem o Minho”, sustento.

No que diz respeito às sobremesas, será servido o leite-creme queimado de Santa Marta de Portuzelo, o arroz doce à Prior de Vila Franca, as clarinhas de Fão e os folhadinhos da Apúlia.

Além da comida seguiram para Paris mais de 240 garrafas de vinho Alvarinho, Loureiro, das Terras de Geraz, em Viana do Castelo, e de Forjães em Esposende, entre outros vinhos portugueses.

“É uma verdadeira adega”, admitiu António Camelo, adiantando que a decoração do espaço onde decorrerá o evento será feita com bordados do Viana e com artigos relacionados com a atividade dos sargaceiros da Apúlia, em Esposende.

O ouro característico da região, estará também representado por uma coleção de peças em filigrana.

“Fico satisfeito por poder levar o nosso nome a Paris e por dar esse gosto aos nossos emigrantes.

Acredito que esta promoção além-fronteiras vai ajudar a dinamizar a nossa gastronomia e a trazer muita gente, já no verão ao Minho”.

A representação minhota em França contou com o apoio logístico da Câmara Municipal de Viana do Castelo.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo