País

Santuário em Terras de Bouro elevado a basílica e com indulgência plenária


O Papa concedeu indulgência plenária ao santuário de S. Bento da Porta Aberta, em Terras de Bouro, que no sábado vai ser elevado a basílica, informou hoje um membro da respetiva Irmandade.

Carlos Aguiar Gomes disse à Lusa que a indulgência plenária é válida para todos os dias do corrente ano, pelo que os fiéis que visitarem aquele espaço e cumpram determinados requisitos verão automaticamente apagada a “mancha” deixada pelos pecados que cometeram e que já tenham sido perdoados em confissão.

“No fundo, a indulgência faz com que o céu fique mais próximo, porque elimina ou diminui o tempo que se tem de passar no purgatório”, explicou.

A indulgência plenária concedida a S. Bento da Porta Aberta é ainda válida para mais sete anos, mas neste caso apenas em datas específicas, como 11 de fevereiro, Dia Mundial do Doente, ou 20 e 21 de março, por ocasião do aniversário do falecimento do Abade de S. Bento.

Vigora ainda a 29 de junho, aniversário da licença de celebrar na ermida de S. Bento, 10 e 11 de julho, por ocasião da festa de S. Bento, e de 10 a 15 de agosto, data da grande peregrinação anual a S. Bento da Porta Aberta.

Para beneficiarem da indulgência, os fiéis têm de estar “verdadeiramente arrependidos” dos seus pecados e de os confessar previamente, além de participar nos ritos religiosos que tiverem lugar no santuário.

Segundo Carlos Aguiar Gomes, a concessão da indulgência plenária e a elevação a basílica são as “grandes prendas” de aniversário do 400.º aniversário do templo.

“Trata-se do reconhecimento público da importância deste templo, o segundo mais visitado em Portugal, a seguir a Fátima”, referiu.

De acordo com aquele responsável, o santuário de S. Bento da Porta Aberta recebe, por ano, mais de 600 mil turistas e peregrinos, oriundos “dos quatro cantos do mundo”.

Nos últimos anos, a Irmandade promoveu várias obras de beneficiação do santuário, como a construção da cripta e do presbitério, tendo ainda sido construída uma capela expressamente para as confissões.

Foi ainda “completamente recuperado” o restaurante existente junto ao santuário, que serve refeições “a preços simbólicos, acessíveis a todas as bolsas”.

A elevação a basílica será selada oficialmente no sábado, numa missa presidida pelo arcebispo primaz de Braga, Jorge Ortiga.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo