Vila Verde

LINHA DE MUITA ALTA TENSÃO EM VILA VERDE

Relativamente à instalação de uma Linha de Muita Alta Tensão no Concelho de Vila Verde, e após sessão pública de esclarecimento realizada dia 7 de Maio no salão nobre da Câmara Municipal, faz o CDS.PP saber:

A) Compreendemos a necessidade desta obra, que é de interesse público e comunitário, mas estranhamos que desde o início deste projecto em 2011 a REN (entidade responsável pela obra) não tenha discutido de forma séria com o Município de Vila Verde opções por onde devesse passar esta linha, nomeadamente, opções de corredores que passassem em sítios com menos aglomerados populacionais e empresariais. Consideramos que seria obrigatório envolver, desde o início, a Câmara de Vila Verde neste processo. Este facto denota, tememos, que critérios eventualmente economicistas prevaleceram em detrimento do bem-estar e protecção das populações e dos proprietários.

B) Estranhamos também que nenhuma Junta de Freguesia tenha sido ouvida, isto, apesar dos relatórios da REN dizerem que as juntas tinham sido informadas e nada teriam a opor. Mentira, as juntas não foram ouvidas. Mas não deixa de ser verdade que era efectivamente obrigatório ouvir as Juntas neste processo, porque são quem melhor conhece o terreno, as condicionantes e as populações.

Consideramos, por isso, que o Município, as Juntas de Freguesia e os Vilaverdenses não foram devidamente respeitados neste processo.

C) Do traçado apresentado, considera o CDS.PP que há uma excessiva preocupação da REN na defesa e protecção do PDM e das zonas ecológicas e ambientais, isto, em detrimento da prevalência da defesa do interesse e do bem-estar das pessoas, como por exemplo, o facto de as zonas afectas à construção mas ainda não ocupadas (floresta) serem “poupadas”, optando-se por colocar o percurso da linha em zonas territoriais já ocupadas por populações e empresas.

D) Consideramos ainda que o Executivo Camarário, PSD e PS, foi apanhado de surpresa com o desenrolar dos acontecimentos, devendo agora pôr “pés-a-caminho”. A Câmara deve, em uníssimo com Juntas, proprietários e demais forças vivas locais, liderar os esforços para defender um percurso de linha (corredor) que melhor defenda as famílias, as empresas e o emprego em Vila Verde. E isto tem que ser feito com a máxima brevidade, o prazo de negociação, diz a REN, acaba agora no dia 14 do presente mês.

Da nossa parte, estaremos atentos e completamente disponíveis para, como deixamos claro no final da reunião com técnicos da REN no passado dia 5 de Maio, ajudar e proceder às diligências que sejam necessárias na melhor defesa dos interesses de Vila Verde.

Pela Comissão Política,

Paulo Marques

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo