Braga

UMinho contribui para tratamento inovador da atrite reumatoide

Um tratamento inovador para a artrite reumatoide está a ser desenvolvido por um projeto europeu de investigação coordenado pelo Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho, que uniu entidades de vários países na luta de uma cura para esta enfermidade. O grupo já tem luz verde para avançar para o próximo passo, que consiste em realizar testes clínicos de Fase I em humanos, utilizando uma nanopartícula (com ácido fólico à superfície).

A artrite reumatoide caracteriza-se por ser uma doença crónica inflamatória, que afeta as articulações, provocando uma dor aguda, rigidez e deformações irreversíveis. Até ao momento ainda não existe uma cura e os tratamentos implicam o recurso a fármacos muito agressivos para o organismo, provocando por vezes intolerância e efeitos secundários adversos.

O projeto europeu FOLSMART, que conta com a colaboração de várias empresas e institutos europeus, sob a coordenação do Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho, pretende assim criar um tratamento menos hostil para os pacientes, utilizando substâncias biológicas de forma a minimizar os efeitos colaterais do tratamento. “É nosso objetivo que este projeto dê origem a uma solução mais vantajosa perante as terapias atuais, quer seja a nível de aplicação como de custos associados”, referiu o professor Artur Cavaco-Paulo, em declarações ao Correio do Minho.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo