Vila Verde

Luís Castro reclama «políticas sociais de apoio aos idosos» em visita ao Lar S. Salvador

Partilhe esta notícia!

Os candidatos socialistas Luís Castro e Deolinda Pimenta, reuniram hoje com o proprietário e equipa técnica do Lar São Salvador,situado em Barbudo, mesmo perto do centro de Vila Verde, unidade privada de apoio à terceira idade, onde debateram os cortes sociais levados a cabo por este governo.
 
Luís Castro destacou a qualidade e enorme humanismo com que os utentes são tratados nesta unidade, que surgiu pela iniciativa privada de um jovem empreendedor, desde sempre ligado a causas sociais e voluntárias.
 
À margem do encontro, o candidato socialista disse que «apesar de neste caso estarmos perante solidariedade privada, muito positiva, também é necessário que o Estado apoie financeiramente estes projetos, mesmo que seja com pouco. Zero é que é inadmissível».
 
Deolinda Pimenta salientou que se «nota que estamos perante um excelente equipamento social. Os cerca de 20 colaboradores tratam com profissionalismo e muita humanidade os idosos que aqui vivem. Nota-se que estão felizes por cá estarem».
 
Luís Castro aproveitou ainda para relembrar que «apesar da excelente oferta social que o Concelho de Vila Verde tem, com muitos equipamentos a serem projetados e apoiados pelos governos socialistas , há ainda muito a fazer. Nestes 4 anos houve estagnação e mesmo cortes nos apoios sociais, o que é inadmissível tendo em conta a atual conjuntura económica».

«Portugal é o terceiro pior país da Europa Ocidental a assegurar o bem-estar social e económico dos idosos e os cortes levados a cabo por este governo, quer nos cuidados de saúde, quer no transporte em zonas rurais ou nas prestações sociais são o principal motivo», avançou o candidato socialista.
 
Luís Castro disse ainda que «o programa eleitoral do Partido Socialista é apresentado aos portugueses, não apenas como a alternativa credível, mas como o único programa eleitoral sustentado e com estudos económicos que sustentam as medidas propostas. Credibilidade é a palavra com que definem as nossas propostas», ressalvando que «a nossa prioridade serão as pessoas, lutaremos por mais coesão, menos desigualdades, promovendo medidas de incentivo ao emprego, garantindo a sustentabilidade da segurança social.

Só através deste equilíbrio conseguiremos tornar Portugal num país melhor, capaz de crescer de forma sustentada, proporcionando oportunidades aos jovens e dignidade e conforto na terceira idade.» 

foto1

foto2

foto3

foto4

Foto5

Foto6

Foto7

foto8

Comentários

topo