Vila Verde

Vila Verde dispõe de “inúmeras valências de excelência” dedicadas às respostas sociais

Partilhe esta notícia!

magnífica cobertura de lares

O candidato vilaverdense a deputado da Assembleia da República pela coligação Portugal à Frente, Rui Silva, deu hoje continuidade às visitas a instituições sociais do concelho de Vila Verde. Depois de, há pouco mais de uma semana atrás, o candidato ter acompanhado o cabeça de lista do ciclo eleitoral de Braga, Jorge Moreira da Silva, na visita ao Centro Social Vale do Homem e de ter conhecido ao detalhe as instalações do Lar S. Salvador, em Barbudo, Rui Silva esteve, desta vez, à conversa com utentes do Centro de Solidariedade Sagrada Família, em Atiães, e com as crianças e seniores que usufruem das valências que a Casa do Povo de Escariz oferece.

Rui Silva confirmou, em Atiães e Escariz, na companhia da vereadora da Ação Social do Município, Júlia Fernandes, a “excelência das valências” dedicadas às respostas sociais, sublinhando também a “magnífica cobertura de lares” no concelho de Vila Verde. “Todas estas respostas são um sinal claro do espírito hospitaleiro e solidário dos vilaverdenses”, frisou Rui Silva.

os apoios sociais registaram um aumento de 2,7 mil milhões de euros

A propósito da aposta na Ação Social, Rui Silva recorda que, “em contraponto aos cortes orçamentais dos últimos quatro anos de austeridade, os apoios sociais registaram um aumento de 2,7 mil milhões de euros”. O compromisso, garantiu, é agora o de “reforçar o investimento na área social”. Rui Silva lembrou, ainda, que o município de Vila Verde é tido e dado como “um exemplo nacional no que toca à atuação na área social”.

O candidato da coligação sublinha, por outro lado, a “importância vital” das IPSS e das autarquias, entre outras entidades de intervenção local, na capacidade de resposta do Estado às situações de maior precariedade. “Não consideramos que é obrigação do Governo fazer tudo. Mas deve criar todas as condições para assegurar que quem está melhor preparado e adequado possa prestar os serviços e atender às necessidades das populações”, considerou.

No capítulo da Ação Social, a coligação PSD/CDS-PP propõe ainda criar uma nova rede de serviços personalizados, para apoio a idosos e a pessoas com deficiência, assente em habitações já existentes e adaptadas às suas necessidades de acessibilidades, numa lógica de apoio à vida independente, geridas pelas instituições da rede social e solidária, como medida alternativa à institucionalização.

Comentários

topo