Vila Verde

Luís Castro e Deolinda Pimenta querem mais “simplex” com novo programa para as empresas

Partilhe esta notícia!

Os candidatos a deputados do PS de Vila Verde, Luís Castro e Deolinda Pimenta visitaram empresas do setor têxtil, entre elas a “Costa Correia”, considerada uma das melhores unidades indústrias do concelho de Vila Verde, que se modernizou e continua a criar postos de trabalho.

Durante a visita, inteiraram-se do dinamismo obtido pela empresa que se especializou no fabrico de calças com renome a nível mundial.

Entre os maiores entraves destas industrias, a burocracia e legislação fiscal exigente são apontados como autênticos obstáculos que deveriam ser revistos.  O candidato a deputado Vilaverdense, Luís Castro, manifestou total compreensão para com as dificuldades apontadas, indicando que “a burocracia é geradora de consumos de tempo e dinheiro que prejudicam o investimento”.

“Criam custos de contexto excessivos e prejudicam a dedicação da empresa e dos empresários à criação de negócios, riqueza e emprego. Por isso, o PS assume que será relançado um programa SIMPLEX para as empresas e a atividade económica”, destacou Luís Castro.

Luís Castro referiu ainda que “a nova política económica do PS assentará também no reforço das dinâmicas de inovação e de internacionalização”.

“Permitem recuperar a trajetória de diversificação das exportações e de produção de bens e serviços cada vez mais sofisticados e diferenciados, reforçando a competitividade das empresas. O PS empregará ainda esforços no sentido de promover uma maior incorporação de valor nacional nas exportações, reconhecendo a sua importância para a criação de mais emprego e mais riqueza”, frisou o candidato a deputado.

Já Deolinda Pimenta destacou que “a necessidade de relançar a economia”.

“Numa trajetória de crescimento forte e sustentado pressupõe que cada vez mais empresas procurem explorar novos mercados onde possam afirmar as suas vantagens competitivas e potenciar resultados de projetos inovadores”, disse, sendo necessário para tal, e segundo Deolinda Pimenta, “a capacitação e qualificação dos recursos humanos das empresas dos setores transacionáveis, o reforço do investimento com a promoção internacional e uma rede comercial externa de apoio mais eficaz assumem-se como áreas fundamentais de intervenção”.

 

foto6 foto5 foto4 foto3 foto2

Comentários

topo