Vila Verde

PS “atira-se” a Rui Silva da PàF depois de declaração considerada “vergonhosa” e “sectarista”

Partilhe esta notícia!

“Os autarcas de Vila Verde têm uma relação de enorme proximidade com os membros do atual governo, desde ministros a secretários de estado das mais diversas áreas. Ora, se lhes mostrarmos, uma vez mais, que o concelho é um bastião de apoio à coligação, mais fácil será esgrimir, depois, argumentos para captar investimento para a nossa terra”. Esta é a declaração de Ruis Silva, da Portugal à Frente (PàF) e difundida em comunicado que fez “saltar a tampa” ao PS de Vila Verde.

Segundo a violenta reação socialista, a afirmação de Rui Silva – que o PS faz questão de sublinhar no comunicado que é habitante em Braga – é de “um teor vergonhoso, sectário, antidemocráticas e indiciadoras de conluio entre o governo PSD/CDS e a autarquia vilaverdense”.

“Ao assumir que o governo PSD/CDS e autarquia Vilaverdense se podem prestar a acordos com interesses meramente político-partidários, podemos deduzir que este governo e esta autarquia não se preocupam com as pessoas, mas unicamente com resultados eleitorais”, diz o PS em comunicado.

Os socialistas de Vila Verde fazem questão de mostrar alguns resultado da “tal relação de proximidade” da coligação de direita com o governo. “O nosso concelho tem sido fustigado por medidas governamentais com efeitos profundamente negativos. A retirada de competências ao tribunal, a ausência de variantes rodoviárias e a descomunal carga de impostos, são exemplos flagrantes disso mesmo”, referem os socialistas.

O PS de Vila Verde lamenta ainda que Rui Silva, enquanto autarca e vice-presidente de câmara, não tenha defendido o concelho de Vila Verde, nem manifestado vontade em fazê-lo. “Todos o conheceram pela sua ausência absoluta da vida concelhia”,

afirma o PS, levantando questões pessoais de Rui Silva. “Talvez se entenda agora o porquê de Rui Silva estar a trabalhar numa empresa que, antes, era municipal e cuja privatização ele conduziu e aprovou”, lê-se no comunicado.

Segundo o PS, “em política não vale tudo” e consideram que Rui Silva deveria apresentar ideias do programa eleitoral da PàF para Vila Verde. “Limita-se a prometer, tal como Passos Coelho prometeu em 2011, culminando essas promessas num tom de conluio, subentendendo-se que se a PàF não tiver uma boa votação em Vila Verde, o concelho ficará sem obras e investimentos”, aponta o PS de Vila Verde.

Os socialistas vaticinam e dizem que Rui Silva “vai cair na realidade depois do dia 4 de outubro”. “Vai regressar ao seu cadeirão dourado de administrador da Lazer Vila Verde/Piscinas”, atira o PS.

Obras do passado..socialista
O socialista terminam o comunicado mostrando, segundo estes, o que foi feito em Vila Verde durante governo PS.

“A Nova Ponte de Prado sobre o Cávado e variante à EN 101, Edifício do Clube Náutico Prado, Escolas de Moure, Pico e Ribeira, Edifício EPATV, Central Camionagem e Lares de Idosos através do programa PARES, para falarmos das mais emblemáticas. São obras que resultaram da decisão política dos governos PS, conseguidas com o trabalho competente de políticos socialistas vilaverdenses, sem qualquer outro interesse que não fosse o desenvolvimento do concelho de Vila Verde e o bem-estar das suas gentes”, destacam na nota de imprensa.

Os socialistas esclarecem que “Vila Verde estará na fila da frente das prioridades do governo socialista” e dão garantias que os candidatos Luís Castro e Deolinda Pimenta, pessoas idóneas que respeitam todas as suas instituições e associações, sempre primaram o trabalho autárquico “por uma competente presença”, fazem questão de frisar os socialistas.

Comentários

topo