Braga

Escultura “Urban Algae Folly” produz ar em forma de arte bio-digital no centro de Braga

Partilhe esta notícia!

A primeira arquitectura viva bio-digital do mundo foi inaugurada hoje, dia 17 de Novembro, em Braga, mais precisamente na Praça da República. O projecto, que esteve em exibição na Expo Milão 2015, chega à Cidade em virtude de um desafio lançado em parceria pelo Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), Município de Braga e Fundação Francisco Manuel dos Santos ao ecoLogicStudio, laboratório responsável pelo seu desenvolvimento.

O Urban Algae Folly é uma estrutura que integra culturas de micro-algas vivas e o controlo digital da cultura em tempo real. A estrutura retrata uma solução inovadora de construção de agricultura urbana integrada, através das micro-algas, que absorvem o CO2 da atmosfera urbana e produzem 2kg de oxigénio por dia, sendo necessárias 25 árvores de grande porte para assegurar esta mesma produção. Em causa está um espaço de ensaio para uma nova visão de arquitectura bio-digital do futuro.

Como afirmou Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, esta iniciativa é uma excelente forma de trazer a ciência para a rua e mostrar à sociedade em geral o ´enorme valor acrescentado´ do conhecimento que é produzido pelo conjunto de investigadores de topo mundial que desenvolvem o seu trabalho em Braga, assim como o ´impacto transformador´ que pode ter na vivência futura.

“No INL, na Universidade do Minho, ou em estruturas como o Hospital de Braga estão actualmente a ser desenvolvidos conceitos, produtos e sistemas de vanguarda a nível global sem que, muitas vezes, as pessoas tenham a real percepção do alcance desse trabalho. A instalação do Folly, à semelhança de outros eventos, vem demonstrar que a ciência se pode transformar em algo benéfico para o conjunto da sociedade”, afirmou.

O Edil sublinhou que a ´cidade do futuro´ poderá recorrer a estruturas como o Folly para garantir a sustentabilidade ambiental, alimentar ou noutros domínios que representam uma ameaça para a humanidade. “Em Braga, estamos a construir o futuro de portas abertas para a Cidade e para o Mundo. Desafiamos os Bracarenses a perceberam a evolução do Folly e a dinâmica por trás deste ecossistema representado”, referiu.

 

 

Comentários

topo