Cultura

Fim de Semana Gastronómico ‘Vila Verde, Capital do Pica no Chão’ e V Mostra ‘Doces – Sabores da Nossa Terra’

Partilhe esta notícia!

(redação) O concelho de Vila Verde prepara-se para conquistar os visitantes pelo estômago, com mais uma edição do Fim de Semana Gastronómico ‘Vila Verde, Capital do Pica no Chão’. O afamado Pica no Chão (ou arroz de cabidela, como também é conhecido), o Pudim Abade de Priscos e o Doce de Regalados são as figuras maiores de uma iniciativa que coloca ao dispor de todos os visitantes inúmeros propostas da cozinha minhota que são ‘de fazer crescer água na boca’.

A iniciativa, que vai decorrer de 27 a 29 de novembro, engloba ainda a V Mostra ‘Doces – Sabores da Nossa Terra’, em que as criações dos mestres pasteleiros assumem lugar de revelo, com desconto de 15% em todos os doces que integram a mostra, durante o dia 29.

O programa completo, que se insere na programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, foi apresentado durante a manhã de hoje, numa conferência de imprensa que decorreu nos Paços do Concelho.
No mesmo âmbito, realiza-se o ‘Trilho do Vade’, a 28 de novembro (as inscrições já estão abertas), que vai permitir aos participantes desgastar as calorias extra acumuladas num fim de semana dedicado à gastronomia e contactar de perto com as belas paisagens naturais que compõem o cenário do percurso.

Vários espaços de alojamento, distribuídos um pouco por todo o concelho, voltaram a juntar-se ao Fim de Semana gastronómico, garantindo descontos e promoções para todos os que decidirem pernoitar em Vila Verde durante os dias em que decorre o evento.

Não faltam atrativos numa iniciativa em que a gastronomia dá o mote (e apresenta condições privilegiadas) para que os interessados possam pernoitar em Vila Verde e desfrutar de um território imensamente rico ao nível do património natural e edificado, com gentes acolhedoras e hospitaleiras, que se orgulha das suas raízes e encontra na idiossincrasia da sua tradição um catalisador de desenvolvimento e progresso.

“Fechar com chave de ouro a programação Na Rota das Colheitas”
Durante a sessão, coube à Vereadora da Cultura do Município de Vila Verde apresentar detalhadamente o programa preparado para o fim de semana de 27 a 29 de novembro. Júlia Fernandes enumerou os vários restaurantes, pastelarias e espaços de alojamento aderentes, frisando que se perfilam “de braços abertos para receber todos os que decidirem visitar-nos” e que a generalidade dos pratos e doces são “confecionados com inúmeros produtos regionais”.

A vereadora sublinhou ainda que a iniciativa sai engrandecida pelo diversos pontos de interesse cultural e paisagístico que se estendem de forma harmoniosa um pouco por todo um concelho e se afirmam como mais-valias para enriquecer o leque de opções à disposição de todos os que desejem visitar ou revisitar o território vilaverdense.

“Estão reunidas todas as condições para um fim de semana em grande, para descobrir a beleza e os encantos de um concelho com natureza, monumentos e tradições encantadoras. É também uma forma de fechar com chave de ouro a programação Na Rota das Colheitas.

Foram quatro meses em que recebemos milhares de visitantes e estabelecemos inúmeras parcerias numa iniciativa que tem evoluído imenso e que, ainda assim, continua a demnstral um grande potencial de crescimento”, afirmou Júlia Fernandes. A vereadora concluiu recordando as outras atividades que marcam os ultimos dias de novembro, o ‘Trilho do Vade’ dá o mote para as comemorações da Semana da Floresta Autóctone e a Feira de Colecionismo e Velharias de Vila Verde.

A ‘Capital do Pica no Chão’ é a terra natal do Abade de Priscos
Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, aproveitou para referir que a iniciativa respira a alma vilaverdense, uma vez que estamos na ‘Capital do Pica no Chão’ e que o Abade de Priscos, autor do famoso pudim que já ganhou adeptos dentro e fora de portas, é natural do concelho, da freguesia de Turiz.

O edil vincou, já em jeito de balanço, que esta ação “marca o encerramento do programa vasto e alargado Na Rota das Colheitas, que se estende desde o início de agosto até ao final de novembro, com uma panóplia diversificada de iniciativas associadas à valorização da gastronomia, cultura, tradição… do potencial do nosso território”.

António Vilela fez ainda questão de deixar uma palavra de apreço e reconhecimento para os diversos agentes locais (juntas, associações, instituições…) que imprimiram dinamismo nas respetivas e comunidades e contribuíram em grande medida para o enorme sucesso da iniciativa.

“Um programa enquadrado numa estratégia de promoção e aumento da atratividade do território em que procuramos com a nossa tradição e cultura criar sinergias que contribuam para ancorar o desenvolvimento do concelho de Vila Verde”, disse, acrescentando que com estas atividades foi possível “proporcionar experiências únicas a todos os participantes, pelo que o balanço da Rota das Colheitas é extremamente positivo”.

Comentários

topo