Destaque Vila Verde

“Produtor José Manuel Duarte deve um pedido de desculpas a jovens criadores da Gala Namorar Portugal e aos vilaverdenses”

José Morais
Nuno Cerqueira
Escrito por Nuno Cerqueira

José Morais, vereador socialista da Câmara de Vila Verde, afirmou que o produtor de moda José Manuel Duarte deve “um pedido de desculpas” aos jovens criadores da Gala Namorar Portugal e aos vilaverdenses. Tudo isto depois de críticas apontadas à desorganização da gala, da responsabilidade da Câmara de Vila Verde e a marca “Namorar Portugal”, por vários jovens criadores que viram “o caos” na altura dos desfiles que levaram a erros sucessivos durante a gala.

Júlia Fernandes, vereadora social democrata do executivo e responsável pela gala, disse ao Semanário V que a responsabilidade era da empresa contratada – por 74 mil euros –  para a produção da gala.

Empresa essa de José Manuel Duarte, alvo de todas as críticas, e que o vereador José Morais veio criticar a postura.

“Não está à altura daquilo que se exige de um profissional, de alguém que além de produzir eventos de moda deve contribuir para a formação dos jovens concorrentes e demonstra uma arrogância e falta de nível para produzir um evento cujo objetivo será lançar no mundo da moda as carreiras dos jovens e as suas criações”, afirma José Morais, acrescentando ainda que “deve um pedido de desculpas aos visados, mas acima de tudo a todos os vilaverdenses”.

Em causa estão as afirmações como “quem não sabe perder não entra em concursos”. Declarações essas que segundo José Morais “demonstram bem a forma distorcida como encara a Gala Namorar Portugal”.

“Estou certo de que grande parte dos jovens criadores que nela participam pretendem acima de tudo dar visibilidade às suas criações, e não vencer ou levar para casa um trofeu. A criação de moda é uma arte, e os criadores, enquanto artistas sentem-se certamente mais valorizados por valores que nada têm a ver com ganhar concursos”, frisa o vereador.

José Manuel Duarte terá insinuado em agir judicialmente contra quem legitimamente criticou a produção. Atitude esta que José Morais diz ser “imprópria para quem produz um concurso de moda para jovens criadores”.

“Os lapsos estão documentados. Deve assumi-los, como qualquer profissional. Com estas atitudes intimidatórias afasta jovens do evento e presta um mau serviço a quem o contratou: os vilaverdenses através da autarquia! Deveria ter aceite as críticas e deixar garantias de que no futuro tudo iria fazer para que não se repetissem”, destaca o vereador socialista.

José Morais avança mesmo que o Município de Vila Verde tem responsabilidades na matéria. “O facto de a gala ser um serviço contratado não retira responsabilidades ao Município de Vila Verde que pela voz da vereadora do pelouro deve quanto antes vir a público censurar a atitude do produtor e apresentar um pedido de desculpas junto do Mi Ribeiro e dos restantes jovens criadores visados”, diz o vereador.

São todo um conjunto de tristes afirmações e insinuações que levarão certamente a que não volte a ser convidado para produzir esta gala.

José Morais, que não esteve na gala por razões familiares, acompanhou o evento via ferramentas tecnológicas e diz ter percebido “a qualidade das criações e adivinhar grandes futuros para os jovens criadores, independentemente de terem ou não ganho prémios”.

“O formato da gala namorar Portugal deve cada vez mais aproximar-se de um modelo que promova escolas, jovens talentos e peças de vestuário, em detrimento de promoções e vaidades pessoais. Só dessa forma conseguirá projetar o nome de Vila Verde e o que de bem aqui se faz”, aponta José Morais, que se diz “solidário” com os jovens.

“A câmara não sai bem vista deste lamentável episódio, e deverá publicamente demarcar-se das afirmações proferidas, procurando ainda compensar estes jovens que efetivamente foram lesados por lapsos e erros, seja dando-lhes a oportunidade de desfilarem noutros eventos ao longo deste mês, seja de qualquer outra forma que ajude a dignificar e dar visibilidade às suas criações”, refere José Morais, acrescentando “estar certo” que “as tristes declarações do José Manuel Duarte não merecem a concordância de todos os membros do executivo camarário vilaverdense”.

O Semanário V tentou contactar José Manuel Duarte, desde ontem à tarde, mas sem sucesso.

Comentários

Acerca do autor

Nuno Cerqueira

Nuno Cerqueira

Jornalista - Carteira Profissional Nº CO/1250

Deixar um comentário