Guimarães

Um detido, dois identificados e três arguidos no fim de semana em Guimarães

O rescaldo do fim de semana foi atribulado para a PSP de Guimarães: uma detenção por tráfico de estupefacientes, uma identificação de suspeito por furto e recetação de objetos e uma denúncia por falso roubo.

No domingo (21 de fevereiro) um jovem de 21 anos foi detido por ter sido intercetado na posse de haxixe suficiente para 32 doses e de 30 doses de cocaína. As doses foram-lhe apreendidas, assim como 70 euros em dinheiro, dois telemóveis e a viatura em que se transportava. Foi também identificado um jovem de 21 anos, na posse de nove doses de haxixe, que lhe foram apreendidas. O detido foi presente hoje, nos Serviços do Ministério Público junto do Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

A PSP de Guimarães intercetou e identificou também o suspeito de um furto no interior de uma residência em 2015, no qual foram furtadas duas armas de fogo e peças de ouro, entre outros objetos. Identificou também dois suspeitos dos “crimes de recetação de armas de fogo e o comprador do ouro furtado”, de acordo com comunicado de imprensa. O suspeito do furto, um cidadão de 30 anos, e os suspeitos da recetação das armas de fogo, dois cidadãos de 57 e 76 anos de idade, foram constituídos arguidos, sendo o inquérito enviado aos Serviços do Ministério Público do Tribunal Judicial de Guimarães.

Houve também uma identificação na sequência de uma denúncia por roubo registada no sábado (20 de fevereiro). A mãe de uma menor com dez anos alegou que a filha foi abordada por dois jovens com cerca de 16 anos que lhe teriam roubado o telemóvel, no valor de 233 euros. A PSP de Guimarães conseguiu apurar que foi uma falsa denúncia que teve como objetivo ativar um seguro do aparelho, que foi alegadamente extraviado há cerca de uma semana. A mãe da menor foi ao estabelecimento onde comprou o telemóvel, para poder ativar o seguro, e foi instruída por uma funcionária a apresentar na polícia uma denúncia por roubo, algo essencial para ativar o seguro. A funcionária da loja foi identificada, e a situação foi comunicada aos Serviços do Ministério Público do Tribunal Judicial de Guimarães.

Foto: DR

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo