Destaque

Bombeiro de Terras de Bouro e pai condenados a sete anos de prisão pela morte de vizinho

Partilhe esta notícia!

O Tribunal Judicial de Braga condenou esta manhã de segunda-feira a penas de 7 anos de prisão bombeiro de Terras de Bouro, e pais deste, pela morte de vizinhoà facada e à paulada em 2013. O caso ocorreu em Terras de Bouro e os arguidos foram condenados por homicídio qualificado, na forma tentada.

Tudo terá acontecido devido a um conflito por causa do regadio dos campos de cultivo. A fúria dos arguidos aumentou quando a mulher do mais velho “revelou que a vítima a teria tentado violar.

A 6 de julho num baldio em Chamoim a vítima foi atacada pelos dois arguidos. “Acordara tirar-lhe a vida”, refere o acórdão. Este disferiram golpes de facada e à paulada, atingindo-a na cabeça, no tórax, no abdómen e nos braços e pernas.

“Empurraram-na a até uma ribanceira, onde a projetaram num silvado, convencidos de que ali morreria, e abandonaram o local”, afirma o acórdão. Consequência das agressões, o homem teve de efetuar três cirurgias e esteve 391 dias de doença.

Para o tribunal, os arguidos “evidenciaram o que há de mais desprezível na natureza humana, que é a absoluta falta de respeito pela vida do outro”.

Os arguidos terão ainda de pagar uma indemnização de 4000 euros. Os advogados dos arguidos já anunciaram que vão recorrer da decisão, considerando que a pena é “excessiva” e “desfasada” em relação àquilo que se passou. “O tribunal manifestou um completo desconhecimento do que é a vida na serra e do que são os conflitos entre pastores”, disseram os advogados de defesa.

O arguido filho disse que agiu em defesa do pai, depois de alegadamente constatar que ele estava a ser agredido. “Nunca quis matar, só quis defender o meu pai e defender-me a mim”, referiu aos jornalistas, garantindo ainda que pretende continuar ao serviço dos Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro.

Comentários

topo