Cultura

“Aqui em Prado o Xanax é um ovo cozido em cima da ponte” (c/vídeo)

“Aqui come-se um ovo cozido na ponte para dizer adeus às enxaquecas”, refere José Silva, de Merelim São Paio, que todos os anos se dirige ali ao lado, à Ponte de Prado, para comer um ovo cozido em cima da ponte para evitar gastar nos medicamentes contra as dores de cabeça. A tradição, e apesar da chuva, voltou a repetir-se esta noite na Vila de Prado, concelho de Vila Verde.

“Quatro, três, dois, um….bora lá comer ovo”. Não, não é passagem de ano, mas sim um bizarro ritual. São aos milhares que em cima da ponte, de ovo cozido na mão, fazem a contagem decrescente até à meia noite do domingo de Páscoa.

“A tradição diz que quem, pela meia-noite do domingo de Páscoa, comer um ovo cozido em cima da ponte de Prado e atirar as cascas ao rio passa o ano inteiro sem ser acometido de dores de cabeça”, explica Paulo Gomes, presidente da Junta de Prado.

Segundo o autarca, a tradição já terá séculos e a sua origem não é conhecida. A junta “não deixa morrer a tradição” e tem investido na iluminação que leva ao Monumento Nacional, a ponte dos Filipes de Espanha, conhecida como Ponte de Prado, crentes e não crentes, que além de comer o ovo, juntam vinhos ou licores.

Segundo a tradição, o “Ovo na Ponte” era musicado com cânticos litúrgicos, conhecidos por “aleluias”. Atualmente, a música é outra, sendo frequente ouvir concertinas e cantares ao desafio.

“O que se pretende, acima de tudo, é um espaço e um momento de convívio, de encontro de velhos amigos, de sã confraternização”, afirma  Paulo Gomes.

Fotos: Salomé Pessoa

(Notícia completa na edição impressa do Semanário V a 30 de março)

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo