Braga

Estudo sobre a mobilidade para a região do Cávado apresentado na Biblioteca Municipal de Vila Verde

Partilhe esta notícia!

“Estamos aqui para discutir e apresentar um documento essencial para a CIM Cávado”, expôs o presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, na abertura do Seminário Mobilidade Urbana Sustentável no Cávado, que decorre durante a tarde de hoje, dia 12 de maio, na Biblioteca Municipal Professor Machado Vilela, e que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, entre várias outros autarcas da região do Cávado. O próprio Ricardo Rio classificou este seminário como um “primeiro passo” para “lançar este tema na opinião pública”, explicando que “só com o envolvimento de todos se pode construir vias sustentáveis e que sirvam a população.

Paulo Pereira, professor na Universidade do Minho, e um dos impulsionadores deste estudo, classifica as cidades que utilizam recursos sustentáveis como a “verdadeira cidade inteligente”, defendendo que há a necessidade de se criar uma forma de mobilidade “atrativa” nos transportes públicos, dando como exemplo uma via única para autocarros que atravessam a cidade de Braga.  “As cidades não foram feitas para peões ou ciclistas, mas sim para carruagens, carros, e mais recentemente para transportes públicos”, termina o professor, realçando o “importante objetivo dos autarcas para requalificar as próprias cidades”.

Com o estudo a incidir sobre a capacidade de dar resposta às necessidades da sociedade em deslocar-se livremente, sem impacto para o meio-ambiente, os principais objetivos traçados passam pela “redução da poluição, melhoria da saúde pública e inclusão social”, promovendo assim um ecossistema favorável. O aproveitamento deste estudo, e a sua concretização de modo sustentável, passa pelo convite feito às diferentes autarquias que compõe a Comunidade Intermunicpal (CIM) do Cávado de melhorar a mobilidade nas respectivas cidades, tornando-a, para além de ambientalmente responsável, uma mais valia para a população e para o reordenamento de território.

(Notícia completa na versão impressa da próxima quarta-feira, 18 de maio, do Semanário V)

Comentários

topo