Braga

Bombeiros Sapadores de Braga com quartel preparado para os desafios do Século XXI

Partilhe esta notícia!

“Um equipamento de excelência e de futuro”. Foi desta forma que o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, classificou o novo quartel da Companhia de Bombeiros Sapadores (CBS) inaugurado hoje, 3 de Junho, numa cerimónia que contou com a presença da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa.

O Autarca Bracarense lembrou que a construção deste equipamento é a concretização de um sonho antigo, referindo que a Cidade possui agora “um quartel do Século XXI”. “O anterior quartel tinha mais de 50 anos de vida, estava degradado, não tinha condições de conforto e de funcionamento condignas para esta corporação”, referiu o Edil.

Ricardo Rio salientou que a nova infra-estrutura vem complementar muitas iniciativas que têm vindo a ser desenvolvidas pelo seu Executivo Municipal no sentido de qualificar a Protecção Civil do Concelho. Medidas como a criação de um terceiro turno na corporação, a realização de acções de formação, a qualificação da equipa de mergulhadores e o licenciamento da sua embarcação, a aquisição de meios de apoio e equipamentos de protecção individual e viaturas têm contribuído para “o reforço da qualidade de resposta dos Bombeiros Sapadores”.

À ministra da Administração Interna, o Autarca pediu “mais atenção para Braga, não apenas no que se refere à canalização de verbas para o novo quartel dos Bombeiros Voluntários, mas também para a necessidade de começar a projectar atempadamente a construção de um quartel para PSP e GNR”.

Além da nova localização, que permite um tempo de resposta mais curto no socorro às populações, as novas instalações da CBS possibilitam a reorganização dos serviços de protecção civil e o reforço e eficácia do serviço prestado a nível municipal, distrital e até nacional.

Constituído actualmente por um efectivo de cerca de uma centena de bombeiros, o novo quartel vai permitir à CBS admitir elementos do sexo feminino, situação que pelas condições estruturais até agora existentes, designadamente a falta de balneários, não era possível concretizar.

A obra foi alvo de uma candidatura ao Programa Operacional de Valorização do Território (POVT), mais especificamente no Eixo II – Sistemas Ambientais incluindo Prevenção, Gestão e Monitorização de Riscos, representando um investimento global de 1.261.526,67€, sendo 1.006.565,89€ assegurados pelo Fundo de Coesão e 254.960,78€ pelo Orçamento Municipal.

De referir que a CBS de Braga foi recentemente alvo de outros financiamentos no âmbito da protecção civil, nomeadamente ao nível do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) para aquisição de duas novas viaturas para operações de socorro de protecção civil, ou seja, um veículo florestal de combate a incêndios (VFCI) e um de ligeiro de combate (VLCI) e equipamento de protecção individual permitindo a mais célere intervenção no âmbito do sistema integrado de socorro.

Por outro lado, as novas instalações surgem no seguimento da implementação do novo Plano de Emergência de Protecção Civil de Braga, recentemente aprovado e com financiamento do QREN.

Recorde-se que a Companhia de Bombeiros Sapadores (CBS) de Braga estava instalada num edifício com mais de 50 anos de existência e que há muito deixou de reunir as condições necessárias para o melhor desempenho da sua missão.

Nos últimos 40 anos, o antigo quartel não teve qualquer apoio do Estado Português, tendo apenas recebido algumas obras de manutenção e adaptação ao longo da sua existência.

Equipamento permite utilização sustentável de energia

Do projecto definido houve clara intenção quanto à hierarquização e separação funcional dos espaços, destacando-se quatro volumes: o edifício principal; o parque de viaturas e socorros a náufragos; Casa-Escola; arrecadações exteriores de apoio.

No bloco principal situam-se a recepção e todas as áreas de comando, formação, administração, áreas de alojamento e vestiários. No primeiro piso está instalada a área de controlo, telecomunicações e dados e, ainda, um gabinete de crise.

O recinto, com aproximadamente 10.000,00 m2, está ainda preparado para o treino/simulacro em vários cenários com uma Casa-Escola, edifício que apresenta um desenho arrojado e específico tendo em conda as necessidades actuais para este tipo de espaços.

No processo construtivo foram utilizados materiais que favorecem uma melhor e mais racional utilização dos recursos energéticos, aspecto que não estava salvaguardado nas anteriores instalações com mais de 50 anos.

Comentários

topo