Cultura

Albergue de Goães dinamizado por grupo cultural de Marco de Canaveses

Um grupo de 15 peregrinos vindos do Marco de Canaveses passou o dia por terras de Vila Verde, indo pernoitar no Albergue de São Pedro de Goães, em Ribeira do Neiva.

Acompanhados pelo Professor António Luís, residente na Vila de Prado e professor de Língua Portuguesa na Escola Secundária de Vila Verde, este grupo de peregrinos marcha não só pela espiritualidade do caminho, mas também pela candidatura do Caminho Português de Peregrinação a Santiago a Património da Humanidade, uma iniciativa dos municípios do Eixo Atlântico, a ser apresentada no próximo ano.

O grupo vindo da freguesia de Santa Marinha de Fornos, não poupou elogios à parte do Caminho que atravessa Vila Verde, com principal destaque para uma oliveira milenar, algo que deixou historiadores e arqueólogos, pertencentes ao grupo, em completo êxtase. “Era uma árvore milenar, mas com rebentos tão frescos, e mais rara do que parece”, diziam.

Mas a parte espiritual não ficou esquecida, como contou o pároco Fernando Coutinho, que também participou na peregrinação.

“A igreja sempre promoveu o convívio entre as pessoas. Isto tem a sua componente espiritual, pois sempre que as pessoas se propõe a um objetivo, ficam próximas de Deus”, referiu.
Por entre o grupo, a Ponte de Prado foi o local favorito, louvando a “lufada de energia” recebida a par das margens do Cávado.

Depois de atravessarem a Vila de Prado, passando por vários pontos históricos, ainda visitaram a Torre de Penegate, em Carreiras São Tiago, terminando no Albergue de São Pedro de Goães, onde a zeladora Maria da Trindade os recebeu com jantar e cama lavada, para uma noite sossegada.

Carlos Machado, presidente da junta de Ribeira do Neiva, salientou a importância desta visita, de modo a dinamizar e a promover culturalmente aquela freguesia de Goães, e toda a Ribeira do Neiva. “Ainda ontem esteve no albergue um grupo de seis italianos, que dinamizaram o comércio local”, referiu.

Entre abril e agosto deste ano, já pernoitaram 63 pessoas no albergue vilaverdense, subindo a contagem para 157 pessoas desde a sua abertura, em abril de 2015.

(Leia a notícia na edição impressa do Semanário V, a 3 de agosto)

 

 

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo