Destaque

Decreto vai acabar com cargo municipal de Luís Morais

Partilhe esta notícia!
Luís Morais vai ficar sem o atual cargo que ocupa na Câmara de Vila Verde. A cumprir funções como Comandante Municipal da Proteção Civil, Luís Morais vê o governo barrar a continuidade com um decreto que prevê o fim dos comandantes municipais.
A novidade foi mesmo revelada em Vila Verde, numa das já “habituais visitas” do secretário de Estado, Jorge Gomes, ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde, onde Luís Morais é também adjunto de comando da corporação.
Jorge Gomes afirmou que “não se pode ter dois comandantes no terreno”. “Nós não podemos chegar a um teatro de operações e ter duas pessoas a comandar. Quem comanda? Um é comandante dos bombeiros que sabe exatamente trabalhar e depois chega o comandante municipal e que comanda? Comanda o tem tropas e sabe ou o que nem tropa tem?”, questionou Jorge Gomes, que não questiona a “sabedoria” dos comandantes municipais, mas a experiência no terreno tem trazido problemas.
Desta forma o secretário de Estado revelou que o regulamento, a lei 65, vai sair em setembro. “Já aprovado pela Associação Nacional dos Municípios e pela Liga dos Bombeiros Portugueses em que acaba com a figura do comandante municipal”, frisou Jorge Gomes.
Questionado sobre esta alteração, António Vilela, presidente da Câmara de Vila Verde, estranha que o decreto venha acontecer. “Não conheço o que se vai alterar em termos globais. Estranho que isso venha acontecer, a não ser que venha a ser criada uma estrutura diferente para que os municípios possam gerir as questões da proteção civil de uma outra forma”, frisou António Vilela.
O edil de Vila Verde recorda aspeto fundamental: “Não podemos deixar de criar condições para que a proteção civil possa trabalhar no terreno”.
“Aquilo que nós verificamos é que houve nos últimos anos uma tentativa de valorização da proteção civil como meio de socorro às pessoas e espero que essa alteração não venha agora ser um constrangimento à proteção civil como meio de apoio às pessoas”, referiu o presidente da Câmara de Vila Verde.

(Leia a notícia completa na edição nº 30 do Semanário V, hoje nas bancas)

Comentários

topo