Braga

Ex-aluno da UMinho envolvido em descoberta sobre cancro da pele

Partilhe esta notícia!

Um ex-aluno da Universidade do Minho sugere novas possibilidades para tratar o tipo mais perigoso de cancro de pele – o melanoma, através da ativação do sistema imunitário do próprio paciente.

O estudo publicado na prestigiada revista “Nature” prova pela primeira vez que o sistema imunitário obriga os tumores a adaptarem-se e ganharem resistências graças a alterações genéticas. Esta descoberta sobre mecanismos de adaptação abre portas para o desenvolvimento de terapias mais eficientes, realça o cientista Noel Miranda.

A investigação avaliou a interação entre as células cancerígenas e o sistema imunitário de pacientes com melanoma em estado avançado submetidos a imunoterapia, um tratamento para estimular os mecanismos de defesa.

Os doentes foram acompanhados durante um período superior a dez anos. “Concluiu-se que os tumores tendem a adaptar-se a médio prazo, alterando-se geneticamente e deixando, assim, de ser reconhecidos pelo sistema imunitário”, esclareceu o investigador do Centro Médico da Universidade de Leiden (Holanda).

Além de Noel de Miranda, o trabalho envolveu investigadores da Universidade de Leiden, do Instituto Holandês de Cancro, do Hospital Universitário de Herlev (Dinamarca) e da empresa AIMM Therapeutics (Holanda).

Em Portugal surgem 1.000 novos casos de melanoma por ano. “A incidência dos vários tipos de cancro da pele tem vindo a aumentar devido, essencialmente, à mudança de comportamentos a favor de uma exposição aos ultravioleta exagerada ou inadequada”, realça o cientista de 34 anos, natural da Póvoa de Varzim.

 

Comentários

topo