Destaque

Frutos vermelhos estão a mudar a cor de Vila Verde

Partilhe esta notícia!

Frutos de todos os feitios e sabores, mas de tamanho reduzido, é a oferta que a Mirti Frutos – Feira Nacional de Pequenos Frutos, tem para os visitantes da feira, a decorrer entre os dias 13 e 15 de agosto, na Praça de Santo António, em Vila Verde. Mirtilos, Framboesas, Amoras, Morangos e Groselha são os frutos em evidência, mas nem só de fruta comestível viverá a feira, com vários produtos a serem expostos, desde sabonetes a óleos com extrato dos pequenos frutos.

António Vilela visitou plantações e realçou importância para a economia

O presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, considerou que a produção de pequenos frutos no concelho de Vila Verde faz a diferença na economia local. O edil visitou várias produções agrícolas de pequenos frutos espalhadas no concelho, divulgando que há um interesse estratégico da atividade para o concelho de Vila Verde. A visita permitiu concluir que “a qualidade do produto, a dedicação e o profissionalismo evidenciados por estes empreendedores concelhios são os condimentos incontornáveis para o sucesso de todos aqueles que estão a apostar na produção e comercialização de pequenos frutos”.

Delícias do Tojal em Coucieiro trabalha com mais de 200 produtores

A divulgação e o incentivo à produção e comercialização de pequenos frutos começa a ser uma bandeira para o concelho vilaverdense, e o Semanário V foi visitar alguns produtores, e perceber as vantagens no investimento neste tipo de agricultura. Em Vila Verde, e um pouco por todo o norte do país, há um nome que se associa automaticamente à comercialização de pequenos frutos.

Plantações em Vila Verde ajudam a fixar produtores de fora

João Figueiredo, natural de Vila Nova de Famalicão, é um dos produtores associados à Delícias do Tojal, tendo fixado a sua plantação na freguesia de Dossãos. “Era um sonho, vir morar para esta zona mais alta do minho, e dedicar-me à agricultura”, revela.

Pequenos frutos podem ajudar no combate ao desemprego

Com a apanha dos pequenos frutos a realizar-se nos meses de junho e julho, existem algumas plantações que conseguem fornecer trabalho para quase meio ano, o que leva a que haja emprego sazonal por Vila Verde. Confrontado com essa questão, Ayrton não esconde o desconforto em falar sobre o assunto, revelando que tem “muita dificuldade” em encontrar trabalhadores para este tipo de atividade.

(Leia a reportagem completa na edição nº 31 do Semanário V, hoje nas bancas)

Comentários

topo