Destaque

Câmara de Vila Verde reconhece interesse público à empresa “Cordeiro Campos”

Partilhe esta notícia!

A Câmara deliberou, por unanimidade, na reunião de hoje, submeter à Assembleia Municipal a proposta de reconhecimento de interesse público estratégico para a instalação de uma unidade industrial da iniciativa da empresa Cordeiro Campos & Ca. Lda., no lugar do Monte, na freguesia de Oleiros.

A referida empresa propõe-se construir um edifício industrial que irá laborar no setor têxtil, principalmente no domínio da confeção de peças vestuário, prevendo a criação inicial de 40 a 80 postos de trabalho, número que deverá ascender a um total de 100 novos empregos nos próximos cinco anos.

Além de se propor edificar novas instalações, dotando-as de caraterísticas estéticas e funcionais e de equipamento de elevada qualidade, num investimento inicial de dois milhões de euros, a empresa Cordeiro Campos & Ca Lda estima que, nos próximos cinco anos, o investimento possa totalizar cerca de cinco milhões de euros.

O presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, considera que “a captação de investimento que promova o aumento da produção de riqueza e abre novas oportunidades de trabalho para os vilaverdenses”.

“É prioritária no concelho de Vila Verde a criação de emprego e a câmara continua apostada em fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que a criação de emprego seja uma realidade”, destacou o edil.

Na perspetiva de António Vilela, o interesse crescente dos empreendedores pela instalação de empresas no território do concelho de Vila Verde “é o reflexo da estratégia de incentivo ao investimento que está a ser implementada pela Câmara Municipal”.

“Adotando uma política fiscal amiga das empresas e das famílias, criando e requalificando infraestruturas de crucial importância para o desenvolvimento local e projetando a imagem de uma concelho moderno, proativo e recetivo a novos projetos de desenvolvimento económico”, frisou

O presidente acrescentou ainda que “a batalha da atratividade e da competitividade está a ser progressivamente vencida”.

“Porque percebemos, desde a primeira hora, que o crescimento económico e o desenvolvimento sustentado do território apenas são possíveis se formos capazes de mobilizar as forças vivas do concelho mas também o setor privado, implementando políticas apelativas para todos aqueles que querem investir, que têm capacidade empreendedora e que necessitam de ser incentivados e apoiados a pôr em prática as suas ideias de negócio”, concluiu.

Comentários

topo