Amares

Vila Verde recebeu equipamento para combate à vespa asiática

Os seis municípios que integram a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Cávado, onde se incluí Vila Verde, receberam esta sexta-feira equipamentos de apoio ao controlo e destruição da vespa asiática, entre os quais um ‘kit’ de incineração, foi hoje anunciado.

Os equipamentos foram ser distribuídos pelos municípios de Amares, Braga, Barcelos, Esposende, Terras de Bouro e Vila Verde.

Cada município recebeu, desde logo, um ‘kit’ de incineração, composto por ponteira em alumínio e cobre com dois metros de comprimento, com queimador de 150 KW de potência ligado a 25 metros de mangueira de gás com regulador, redutor de pressão de 4 bar e adaptador a botija de gás propano.

‘Kits’ de aplicação de insecticida, fatos de apicultor com chapéu e máscara, luvas de apicultor, óculos de proteção, botijas de polioretano e motosserras são outros dos equipamentos distribuídos.

“São equipamentos muito importantes para um combate eficaz à praga das vespas asiáticas, que tem feito mossa na nossa região, disse o presidente da Associação dos Apicultores do Cávado e Ave.

Segundo Franquelim Marques, só em 2015, nos seis concelhos abrangidos pela CIM do Cávado, foram destruídos perto de dois mil ninhos de vespa asiática, tecnicamente designada vespa velutina.

O responsável adiantou que este ano se nota a presença de menos vespas asiáticas na região

“O fornecimento de equipamentos aos seis concelhos do Cávado decorre ao abrigo do projeto GESVESPA – Estratégias de Gestão Sustentável da Vespa Velutina, que pretende desenvolver ações para o estudo, controlo e combate àquela praga”, afirmou Ricardo Rio, presidente da CIM Cávado.

O projeto, liderado pelo Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, representa um investimento superior a 400 mil euros e, além de reforçar a capacidade de combate, tem ainda por objetivos investigar a forma de reprodução, etologia, genética e sanidade da vespa velutina e avaliar potenciais riscos sanitários para o efetivo apícola.

O estudo do impacto da vespa velutina sobre os ecossistemas e sobre os serviços de polinização que suportam e o desenvolvimento e teste de boas práticas de controlo e de erradicação da espécie são outros dos objetivos.

As CIM do Alto Minho, do Ave e do Tâmega e Sousa também estão envolvidas no projeto.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo