Destaque

Política: JSD de Vila Verde pede demissão de José Morais acusando-o de “política de mentira”

Continua em polvorosa a troca de acusações entre os principais partidos políticos de Vila Verde, desta vez com a Juventude Social Democrata (JSD) de Vila Verde a pedir a demissão do líder do Partido Socialista concelhio, José Morais.
Em nota enviada às redações, a JSD mostra “incredulidade” com as recentes acusações por parte dos socialistas, devido a um documento que, segundo António Vilela, edil de Vila Verde, terá sido “falsificado”.
“A JSD de Vila Verde assiste incrédula a mais um desmascare público da política de mentira e de constante lavagem de roupa suja que o líder socialista vilaverdense tem norteado o novo Partido Socialista de Vila Verde. Após as demissões na Juventude Socialista provocadas por pressões internas, dos resultados falaciosos da sua própria eleição no partido, eis que os vilaverdenses são hoje confrontados infelizmente com nova mentira e falsificação de documentos oficiais, de forma a incendiar a opinião pública contra o executivo social-democrata. Na política podem e devem ser apresentadas propostas diferentes para o desenvolvimento concelhio, mas nunca desvirtuar e mentir, sobre uma temática tão sensível como o combate aos incêndios”, lê-se na nota.
Carlos Tiago Alves, presidente da JSD e autor da nota, “lamenta” a análise feita por José Morais às alterações do GOP (Grandes Opções do Plano) concelhio. “A JSD de Vila Verde lamenta profundamente que após praticamente 3 anos de oposição, um vereador da oposição ainda não saiba analisar uma alteração orçamental. Deploramos mesmo que após uma interpelação do senhor presidente da Câmara Municipal, em jeito de explicação básica de uma alteração orçamental, o mesmo vereador, qual avestruz, vem novamente a público, defender o indefensável, mentindo novamente aos vilaverdenses. Em nenhum momento o executivo social-democrata retirou verba ao combate aos incêndios”, afirma o líder da JSD, aconselhando ainda à demissão do vereador e líder socialista.
“Por último deixamos um repto ao senhor vereador, se vir muitos carros em sentido contrário, acredite que é o senhor o único a caminhar em sentido oposto”, afirma, terminando com “o seu caminho após estes tristes episódios é a sua demissão”.
(Notícia na edição impressa do Semanário V, a 21 de setembro)
Partilhe esta notícia!

Comentários

topo