Cultura

Prado: Festa das Colheitas em franco crescimento

Partilhe esta notícia!

Foi em boa hora que a Vila de Prado se juntou à programação alargada Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, já que a Festa das Colheitas de Prado se tem revelado um verdadeiro sucesso. O evento tem crescido ano após ano fruto do trabalho incansável de largas dezenas de voluntários que se associam à paróquia pradense para organizarem uma iniciativa de promoção e divulgação da tradição minhota. A desfolhada do milho, a matança do porco, a gastronomia regional e a música popular, são alguns dos maiores atrativos de uma festa que se prolongou durante todo o fim de semana, 23 a 25 de setembro, com inúmeras atividades pensadas para agradar a todos os gostos e feitios.
O desfile da pequenada foi uma das novidades do evento e a estreia não poderia ter corrido melhor.

Perto de uma centena de crianças pradenses desfilaram entre a capela de S. Tiago e a igreja nova, num cortejo de homenagem ao mundo rural e à época das colheitas. A adesão superou até as expectativas mais otimistas, como revelou o pároco local, João Correia, sem esconder a satisfação pelo sucesso da atividade. A riqueza da cozinha regional é outro dos atrativos do evento e este ano foi criada a ementa das colheitas. Caldo verde, arroz de feijão malandro e respetivos acompanhamentos (panado, patanisca, alheira…) e os doces das colheitas para finalizar. A ementa das colheitas foi criada com o objetivo de se tornar uma das imagens de marca da festa mas há outras opções gastronómicas no recinto.
União da comunidade é a receita do sucesso
Durante o fim-de-semana animação musical foi uma constante com espetáculos de música popular, fado e folclore. Nota de particular destaque também para a desfolhada do milho, adiada para a manhã de domingo devido à chuva forte que se fez sentir ao serão de sábado. Várias pessoas, miúdos e graúdos, pradenses e visitantes, cantavam alegremente enquanto retiravam das canas as espigas douradas pelo sol. O cortejo etnográfico e o leilão de oferendas foram outras das iniciativas de grande sucesso, num fim de semana dedicado inteiramente à promoção do mundo rural. A festa revela-se também um palco privilegiado para a confraternização e o encontro de velhos amigos, contribuindo para estreitar laços e fomentar o espírito de união da comunidade.
“A comunidade está mobilizada neste ideal comum. Um momento de forte convívio e articulação das pessoas, fortalecendo o sentido de comunidade. Há muitas pessoas que não se encontram no resto do ano e que se vão vendo nesta festa. Em simultâneo é forma de angariar fundos para a requalificação do nosso património. Que está cada vez mais aprazível, para que as pessoas sintam orgulho no seu legado. Também é uma forma de dar o exemplo e de educar os mais novos, para que no futuro estejam mais predispostos a dar continuidade a este trabalho”, afirmou o padre João Correia, revelando ainda que a receita deste ano reverte a favor das obras de lavagem de pedra exterior e pintura exterior da Igreja Matriz e no próximo ano a prioridade será a recuperação da Capela de Santiago.

Comentários

topo