Destaque

António Vilela demarca-se de “insultos” ao PS de Vila Verde

Questão dos “incêndios” dominou Assembleia Municipal, com o deputado municipal do PS de Vila Verde, Eduardo Rodrigues, a fazer uma “defesa de honra” a José Morais e restante comitiva socialista em relação às declarações do eurodeputado José Manuel Fernandes, em que apelida elementos do PS de Vila Verde de “incendiários e abutres”, por alegado aproveitamento socialista para fazer política à custa de incêndios.

O deputado socialista dirigiu-se a António Vilela, edil, acusando-o de “insultar” o PS. “O senhor presidente, vocês insultaram o PS, apelidando de abutres, incendiários, mentirosos, entre outros insultos para esconder os hectares ardidos em Vila Verde e que a bouça da Câmara estava suja, e que isso ajudou a arder”, disse Eduardo Rodrigues, acrescentando que “insultam para responder que não há planeamento para a floresta, escondem que foram retiradas verbas da vida coletiva para reforçar em festas, e responderam a tudo com insultos”, disse, garantindo que “o PS vai continuar a apresentar propostas para a prevenção dos incêndios”.

António Vilela tomou da palavra para responder a Eduardo Rodrigues, demarcando-se das declarações do eurodeputado.

“O senhor deputado, colocou na minha boca palavras que eu nunca disse, pois não chamei nada a ninguém”, defendeu o edil, reforçando que “houve uma falsificação de documentos na reunião de câmara, onde foram eliminadas colunas que mostravam de onde saíam as verbas, e foi usada para espalhar a mentira, pois nenhuma daquelas verbas foi retirada ao combate aos incêndios”, disse.

António Vilela rematou o assunto acrescentando que a última comunicação foi um comunicado público, sério e isento.

“E é essa a maneira como deve ser encarada a política, por isso não contem comigo para baixar ao nível do PS a denegrir Vila Verde e a Câmara, pondo-as em causa”, finalizou, garantindo que “nunca irá baixar ao nível do insulto aos vilaverdenses”.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo