Destaque

Supremo indefere recurso de José Faria e mantém o autarca “longe” do CA

O presidente da junta de Vila Verde e Barbudo, José Faria, viu o Supremo Tribunal de Justiça negar-lhe recurso no caso do despedimento “por justa causa” pelo banco Caixa Agrícola de Vila Verde / Terras de Bouro, dirigido por José Santos, após ter sido detetado “desfalque bancário” alegadamente realizado pelo autarca José Faria.

Segundo o tribunal o despedimento “por justa causa” surge depois de, alegadamente, José Faria realizar sucessivos desvios a cliente do banco, da  Farmácia Medeiros, Vila Verde, no total de mais de 13 mil euros entre os anos de 2013 e 2014.

“Não se pode exigir a uma instituição bancária que fique com um funcionário que fez seu dinheiro de clientes e protegeu clientes seus amigos em detrimento dos interesses económicos da entidade empregadora”, referiu o Supremo.

(Notícia completa no Semanário V, edição impressa do dia 19 de outubro)

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo