Destaque

Insólito: Presidente da Junta de Prado São Miguel desmente o próprio presidente da Junta de Prado São Miguel

Partilhe esta notícia!

Um episódio insólito esta a fazer as delícias das redes sociais em Vila Verde, isto depois do próprio presidente da junta de Prado São Miguel, Rui Malheiro, ter considerado “infundadas” as próprias declarações do presidente da junta da freguesia, ou seja, o próprio Rui Malheiro.

O episódio começa após publicação de atas públicas de uma reunião da Assbleia de Freguesia no facebook de Joaquim Costa, presidente da Assembleia de Freguesia. Ato que o autarca não terá gostado, até porque algumas citações do próprio o colocam “em cheque” perante o município de Vila Verde.

Atrapalhado com os factos, o presidente da junta desmentiu o próprio presidente de junta em declarações ao sítio OVilaverdense.

O insólito episódio já valeu um comunicado por parte de Rogério Meireles, membro da Assembleia de Freguesia de Prado São Miguel, e secretário da mesa do mesmo órgão, que lavrou a ata.

“Na ata lavrada e aprovada por unanimidade, o presidente da Junta Rui Malheiro disse que Joaquim Costa equaciona onde se vai aplicar a verba ao que o presidente do Órgão executivo responde que será parte na obra da Cachada pois estava prevista no ano passado mas não foi possível fazer pois a Câmara não libertou o material necessário em tempo útil. O presidente do Órgão executivo refere que existe também um alargamento a fazer em Vilela e que estão apenas a espera do protocolo com a Câmara para cedência do material para avançar com a obra, ao que o Rogério Meireles refere que a dita obra não foi apresentada à assembleia de freguesia nem consta no plano de atividades”, escreve Rogério Meireles, em comunicado, a situação que causou incómodo ao autarca local.

“O presidente da Junta declara publicamente que são ‘Afirmações Infundadas’, sendo as mesmas por si proferidas em assembleia de Freguesia e descritas em ata. Sendo a ata documento com cariz legal, a declaração que Rui Malheiro agora reitera de infundado, pressupõem que tal documento terá sido adulterado, o quem de todo não corresponde á verdade”, explica Rogério Meireles, que estranha a posição de autarca Rui Malheiro.

“Um desmentido por si mesmo das suas próprias declarações”, interpreta Rogério Meireles, que relativamente à publicação “de tais documentos nas redes socias” não vê problema até porque, e como explica, “os mesmos são de teor público e podem ser publicados e consultados sem qualquer restrição”.

O caso, insólito, tem preenchido as redes sociais em Vila Verde. O V tentou contactar o autarca pradense, mas até ao momento sem sucesso.

Comentários

topo