Destaque

Valdreu: Espécime de maçã adequada para cidra está em vias de extinção

José Mota Alves, presidente da Associação de Desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave (ATAHCA), lança o alerta de que várias espécies de fruta estão em vias de extinção, e que os últimos exemplares encontram-se em algumas regiões de Vila Verde, como é o caso da Maçã de Galho Tenro, na freguesia de Valdreu.

“Temos vários tipos de fruta que estão a desaparecer do mercado, e isso tem aumentado o valor, com algumas maçãs a chegar perto dos 20 euros por quilo, o que é preço fantástico para os produtores”, disse o presidente da ATAHCA em exclusivo ao Semanário V.

“Dou-lhe o exemplo da Maçã de Galho Tenro, que ainda se pode encontrar em alguns locais de Valdreu, e era a maçã com que se fazia o vinho, vulgo cidra, há umas décadas. Naqueles tempos, fazia-se o vinho de maçã com aquela espécie, mais ácida, e que dava boa cidra, e os agricultores aguentavam-se com aquele vinho até altura de colher as uvas”.

“É um grande potencial”, diz Mota Alves, anunciando que está em curso um projeto para a preservação desta e de outras espécimes de fruta, em parceria com o Intituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e com o Ministério da Agricultura, revelando o exemplo de algumas empresas que têm surgido através dos fundos comunitários disponibilizados pela ATAHCA, e que já estão a investir na transformação de várias variedades de maçã que se encontram cada vez menos em território nacional.

“Como podemos tirar rendimento da fruta? Transformando-a”, revela José Mota Alves, garantindo que é pretensa da ATAHCA continuar a apoiar este tipo de produção, comércio e indústria, para ter garantia de que “as variedades de fruta estão seguras e não caem em extinção”, e para garantir que os produtores não “perdem a qualidade na fruta”.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo