Destaque

Antigo autarca José Manuel Fernandes diz que “município não deve nada à Adere-Minho”

O antigo presidente da Câmara de Vila Verde, José Manuel Fernandes, afirmou hoje que aquele município nunca se comprometeu a financiar “com um cêntimo que fosse” a obra de recuperação da escola onde a Adere-Minho instalou a sua sede.

“Quando cedeu o edifício, a Câmara deixou bem claro que não financiaria as obras de recuperação com um cêntimo que fosse”, referiu à Lusa o ex-autarca e atual deputado europeu.

A Adere-Minho (Associação de Desenvolvimento Regional do Minho) moveu uma ação contra o município de Vila Verde, que ontem começou a ser julgada no Tribunal de Braga, reclamando o pagamento de 224 mil euros, referentes a obras que promoveu na antiga escola primária de Soutelo, onde instalou a sua sede. A associação justifica a sua pretensão com uma declaração que o anterior presidente da Câmara de Vila Verde, José Manuel Fernandes, assinou, em julho de 1999, que alegadamente garantia que o município comparticiparia as obras.

José Manuel Fernandes disse que aquela declaração não era mais do que uma “carta de conforto”, para “credibilizar” uma candidatura da Adere-Minho a fundos comunitários. “Então a Câmara disponibiliza-se para ajudar e a Adere-Minho vem agora, ao fim destes anos todos, pedir o pagamento de algo que nunca lhe foi prometido, deturpando por completo o teor e o sentido da referida declaração?”, insurgiu-se o antigo autarca.

No processo que ontem começou a ser julgado, José Manuel Fernandes vai depor por escrito.

As alegações finais do julgamento ficaram marcadas para 15 de fevereiro.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo