Destaque

Regadio. Presidente da Junta de Agricultores de Cabanelas acusa José Morais de “proveito político”

Partilhe esta notícia!

A Junta de Agricultores do Regadio de Cabanelas, na pessoa do presidente Fernando Xavier, acusou esta sexta-feira (3), em comunicado, o candidato à Câmara de Vila Verde pelo Partido Socialista, José Morais, de “proveito político”, após este ter reclamado “obra feita” na questão do Regadio.

Em comunicado enviado à imprensa, Fernando Xavier diz que o primeiro “passo do processo” deu-se em reunião com o antigo presidente da câmara, José Manuel Fernandes, no ano 2000, alertando que a conclusão do mesmo deu-se em 2015, em reunião com a antiga Ministra do Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, que terá classificado a obra como “de interesse local com elevado impacte coletivo reunindo assim todas as características e condições para poder ser candidata a fundos comunitários”.

Fernando Xavier alerta ainda que “foram vários os deputados (…) que intercederam junto do poder central (…) para que o processo conhecesse avanços significativos, nunca se conhecendo (…) qualquer intervenção do vereador José Morais (…) ou das juntas envolvidas”, realçando ainda que no dia 20 de fevereiro de 2017, a Junta de Agricultores do Regadio de Cabanelas reuniu com o presidente da câmara, António Vilela e com uma delegação da Direção Regional da Agricultura do Norte, onde foram acertados “os últimos pormenores relativos à realização das obras do regadio de Cabanelas, Prado e Soutelo, assim como a elaboração de um protocolo a estabelecer com o município, bem como a cedência da infraestrutura do regadio entre Soutelo e Ponte”, tendo a mesma ficado “aprovada” e que iria avançar até “final de março de 2017 em investimento global acima de 7 milhões de euros”.

Fernando Xavier põe ainda em causa as palavras do vereador socialista, alegando não entender as afirmações do mesmo quando se refere a “mais um exemplo do trabalho que o Partido Socialista tem feito junto do poder central e de diversos organismos com capacidade de decisão”, acusando mesmo José Morais de “afirmações falsas” quando diz que os membros do PS “tudo fizeram para encontrar soluções para os problemas”. O presidente da Junta de Agricultores diz ainda que “em momento algum, o vereador José Morais acompanhou ou mostrou disponibilidade ou interferiu em qualquer ato respeitante a esta candidatura”.

“Lamentamos sim, que o senhor vereador José Morais, num ato de puro proveito politico, tenha emitido um comunicado de imprensa, fruindo de uma visita oficial ao norte, do Senhor Secretário de Estado da Agricultura, Dr. Luís Vieira, para ser fotografado ao seu lado, «seu timbre pessoal», e ter proferido declarações de uma eventual reunião que nada de novo acrescentou ao processo, para além do que já era do conhecimento publico”, diz ainda o comunicado.

(Notícia completa na edição impressa do Semanário V, a 8 de março)

 

 

Comentários

topo