Álvaro Rocha Opinião

Opinião de Álvaro Rocha. “Autárquicas”

Álvaro Rocha
Escrito por Álvaro Rocha

As eleições autárquicas estão em curso. Como na maioria dos concelhos portugueses, também já são conhecidos os candidatos à Câmara Municipal de Vila Verde, assim como muitos dos candidatos às Juntas de Freguesia. Considerando os recursos, a estrutura e o que têm feito, vou classificar qualitativamente o desempenho até ao momento de cada uma das candidaturas à Câmara Municipal.

1. Paulo Marques

É dos tês candidatos aquele que possui menos recursos e estrutura, por conseguinte, tudo o que faz está condicionado a estas restrições, todavia, considero interessante o que tem feito. Foi o primeiro a colocar cartazes, com uma mensagem sóbria, mas simultaneamente apelativa. E paralelamente tem apresentado um conjunto de medidas que pretende implementar caso seja eleito Presidente da Câmara Municipal. Destaco as propostas da criação do observatório autárquico para a transparência, e da criação de um departamento camarário de promoção do concelho no exterior.
Classificação: Suficiente

2. José Morais

Possui recursos, estrutura e tem tido muita dinâmica. Tem a máquina montada, que tem percorrido o concelho, entre outros, com Flyers, e tem candidatos às Juntas na maioria das freguesias. Tem, pois, todas as condições para disputar a vitória nas próximas eleições autárquicas. Porém, alguns eventuais erros provocados por ansiedade poderão ser-lhe fatais. Por exemplo, não arrancou bem a apresentação de candidatos às Juntas de Freguesia. Em Aboim da Nóbrega e Gondomar substituiu o candidato anunciado ao longo de vários meses, e de uma assentada perdeu apoios que dificilmente recuperará. Corre também o risco de o candidato substituído ir a eleições como independente, ou com o apoio de outro partido, e ver assim o seu atual candidato a ter um resultado desagradável.
Classificação: Suficiente

3. António Vilela

Tem muitos recursos e tem estrutura, mas tem tido pouca dinâmica e adesão da máquina laranja. Muitas das suas propostas são mais do mesmo, porque repetem-se ao longo dos anos. Os Vilaverdenses atentos dificilmente acreditarão que é desta que vai cumprir. Paralelamente, está a tentar fazer obras de campanha nalgumas freguesias no pressuposto de que concretizará o empréstimo de mais de 2 milhões de euros aprovado na Câmara, mas que carece de Visto do Tribunal de Contas. Acontece que o Tribunal de Contas nao concedeu o Visto por incompetência de António Vilela e da sua equipa. Como é possível alguém no poder há 20 anos não saber instruir devidamente um processo de pedido de Visto?
Acresce a isto ainda, o facto de ser arguido e estar completamente perdido relativamente ao problema da concessão do estacionamento a privados, criado pelo próprio. É confrangedor ouvi-lo dizer que não sabe o que fazer. Então não foi ele quem assinou o contrato de concessão do estacionamento a privados?
Classificação: Insuficiente

Comentários

Acerca do autor

Álvaro Rocha

Álvaro Rocha

Professor da Universidade de Coimbra