Cultura

Green Fest. Thomas e Tiago querem mais barulho em Vila Verde

Partilhe esta notícia!

Thomas Pinto e Tiago Dias decidiram criar um festival de música mais “heavy” em Vila Verde, e o “sonho” é concretizado nos próximos dias 10 e 11 de agosto, para ouvir bandas como os Mau Olhado, os Monera, os Near Skara, os Slavecrowd ou os DJ’s Mladec e Cerci.

“Somos jovens de Vila Verde descontentes com o panorama cultural do concelho, mas absolutamente crentes no futuro e na necessidade de criar mais cultura e eventos para a vasta população de Vila Verde”, disse Thomas Pinto ao Semanário V, a propósito da criação do festival.

Sobre a criação do evento, Tiago Dias disse ao V que “houve um feedback positivo das intituições e dos patrocinadores e por isso metemos mãos à obra”.

A logística está a cargo da Câmara de Vila Verde, que monta o palco e trata de som, luz e refeições para as bandas, enquanto a burocracia é feita através da ACDR de Covas, da qual Tiago é membro.

“Este ano é na praça mas queremos crescer e levar o festival para um descampado à beira-rio”

“Queremos que isto seja marcante para Vila Verde”, concordam os dois organizadores em uníssono.

Habituar os vila-verdense ouvir outro tipo de música é outro dos desígnios da organização, farta de ver “concertinas e bailaricos”.

“Dizem que em Vila Verde não há público… Se não há, é preciso chamar”, diz Thomas. “Temos o exemplo do festival Vira-Pop em Amares, que não tem assim tanta juventude mas o festival enche com gente vinda de fora”, acrescenta.

Com entrada livre, a escolha das bandas foi a parte favorita do duo organizador, que conseguiram trazer “Mau Olhado”, a banda cabeça-de-cartaz deste que promete ser o festival “dark” que Vila Verde jamais conheceu.

Comentários

topo