Destaque

Vila Verde. Bombeira cumpriu promessa sete anos depois de tragédia em incêndio

Catarina Magalhães da Silva, operacional voluntária nos Bombeiros de Vila Verde, cumpriu ontem uma promessa à Senhora do Alívio, por ter recuperado das queimaduras graves durante um incêndio em 2010, em Terras de Bouro, e por ter voltado a andar.

A jovem vila-verdense, em conjunto com oito operacionais dos Bombeiros de Vila Verde, carregaram o andor da Senhora do Alívio, ontem, durante a procissão, em Soutelo, em forma de agradecimento divino pela possibilidade de Catarina ter voltado a andar, depois de um mês em cadeira de rodas após queimaduras graves. Esta noite de segunda-feira, Catarina e os colegas voltaram a carregar o andor da Senhora do Alívio, durante a procissão de velas desta romaria.

Na altura, durante o combate às chamas em Terras de Bouro, a corporação de Vila Verde ajudou no teatro de operações, e Catarina, enquanto arrastava uma mangueira, perdeu-se por entre o fumo, em conjunto com outra bombeira, Sandra Gomes.

Com a aflição, Catarina acabou por retirar capacete e cogula, o que levou a que ficasse com queimaduras espalhadas pelo corpo, com maior gravidade nas pernas. Sandra também sofreu queimaduras, mas com menos gravidade.

Catarina terá perdido a sensibilidade nas pernas, receando não voltar a andar. E durante a Festa do Alívio, regressou a casa, pedindo intervenção divina para voltar a andar, algo que acabou por acontecer poucos meses depois.

Segundo o comandante em exercício dos Bombeiros de Vila Verde, carregar o andor foi como no dia em que Catarina sofreu as queimaduras. “Tal como nesse dia, ontem estivemos novamente todos juntos”, referiu Luís Morais, que ajudou a carregar o andor, vincando que “tal como nesse dia, fica provado que sempre que existir espírito de grupo, não há barreiras intransponíveis”.

Foto: Facebook Catarina Magalhães da Silva

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo