Braga Destaque Região

Braga. Populares apelidam incêndio de hoje como “o grande inferno”

O incêndio de grandes dimensões que lavra na zona este de Braga desde esta madrugada atingiu prorporções maiores por volta das 14:00 horas deste domingo, depois de ter mudado a força do vento.

As chamas, que estavam praticamente controladas e que atravessavam a freguesia de Este São Mamede sem colocar habitações em perigo, passaram para as freguesias vizinhas de Crespos e Pousada, causando aflição por entre os populares.

Chamas consumiram telhado de uma vacaria em Crespos

Um agricultor de Crespos viu parte da vacaria ardida, assim como parte de um trator, fruto de uma fagulha que caiu em zona agrícola, ao lado da vacaria.

João Moreira, residente em Crespos, disse ao V que “ardeu um bocado do trator, ardeu feno, arderam bidóes e parte do telhado da vacaris, mas consegui salvar os animais”.

João Moreira andava a prestar ajuda noutro foco do incêndio quando lhe deram o alerta de que a sua vacaria estaria em chamas. Um vizinho acabou por utiilizar uma mangueira e evitar o pior, até à chegada de João Moreira que libertou os animais e procedeu à extinção do resto das chamas.

“Não ganhei para o susto e os animais também não”, disse um exausto João Moreira.

Também uma vinha na mesma freguesia acabou por arder parcialmente devido a fagulhas do incêndios.

Pousada é a situação mais preocupante

Neste momento (19:15), a freguesia de Pousada é a que mais preocupa os cerca de 90 operacionais bombeiros que combatem aquele incêndio, divididos pelas corporações dos Sapadores de Braga, Voluntários de Braga, Bombeiros de Fão, Terras de Bouro, Famalicenses, Amares e Vizela.

Alguns populares, que ao longe avistavam as movimentações dos bombeiros, não tiveram dúvidas em catalogar este incêndio como “o grande inferno”. “Isto costuma acontecer de sete em sete anos mais ou menos, mas este parece ser mais teimoso e está a queimar tudo por aí abaixo desde Este até Ponte do Porto”, indicaram habitantes de Pousada enquanto estavam sentados numa paragem de autocarro.

No posto de comando e a liderar as operações está João Felgueiras, comandante dos Bombeiros Sapadores de Braga, que fez o ponto de situação ao Semanário V.

“Andamos no combate a este incêndio desde ontem e chegou a ter quatro frentes ativas. Neste momento temos uma frente em Pousada que preocupa mais mas o incêndio está a ceder aos meios que temos no terreno”, avançou o comandante, explicando que foram feitas manobras de defesa na freguesia de Este São Pedro e também em Crespos, a qual o comandante classificou como “situação mais complicada”.

“As chamas andaram perto de habitações e do campo de futebol e foi preciso astúcia para fazer defesa das habitações, mas fomos bem sucedidos”, disse ainda o comandante ao V.

Vice da Cãmara de Braga esteve todo o dia no posto de comando

Firmino Marques, Vice da Câmara de Braga, esteve no posto de comando a inteirar-se das operações. Ao V, o autarca aproveitou para deixar “um reconhecimento a todos os bombeiros, à proteção civil e, sobretudo, à população. “Estou muito agradecido aos populares que se preocupam com o trabalho dos bombeiros e ajudam estes homens e mulheres a combater as chamas, a cuidar daquilo que é dos outros”, apontou Firmino Marques.

“Esperamos que esta situação fique rapidamente controlada até porque já temos outro incêndio que está a preocupar, novamente na Morreira”, finalizou Firmino Marques.

Possível incendiário avistado no local

Alguns populares, e em reportagem do V, assinalaram que um homem, com cerca de 40 anos, foi avistado a correr junto a zonas de ignição de incêndio. O homem traria uma tshirt branca e a GNR esteve no encalço, não conseguindo no entanto identificar o alegado incendiário.

Firmino Marques avançou ao V que todos os dados recolhidos junto de populares foram já entregues às autoridades policiais, nomeadamente a PJ, que vai apurar as causas do incêndio.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista