Destaque Vila Verde

Crime. “Esperem aí que eu já venho” terá dito empresário de Moure à família

Fernando André Silva

É o caso que está a abalar o país. Um empresário de 52 anos, natural de Moure, concelho de Vila Verde, foi encontrado na passada quarta-feira com um tiro no pescoço e de mãos atadas, na parte traseira de uma Mercedes de 9 lugares, da qual era proprietário.

António Costa, empresário ligado à construção, e que era habitualmente requisitado por empreiteiros do concelho de Vila Verde para realizar terraplanagens e desterros para construção, foi encontrado sem telemóvel nem carteira, avançou fonte da PJ.

A mulher e um dos filhos já foram questionados pelo próprio diretor da PJ de Braga, Gil Carvalho, e terão dito que António Costa preparava-se para fazer uns trabalhos de agricultura quando recebeu uma chamada. “Esperem aí que eu já venho”, terá dito António Costa, mais conhecido na terra por “Tone Carneiro”.

No entanto, António Costa não voltou, o que motivou uma queixa por desaparecimento na GNR de Prado, por parte da família, que se mostra chocada com este acontecimento.

A família terá tentado contactar António Costa desde segunda-feira, mas sem sucesso, uma vez que o telemóvel estava desligado.

Fonte da PJ avançou à imprensa que o telemóvel e a carteira da vítima foram roubados, naquilo que poderá ter sido uma tentativa de encobrir os motivos do assassinato.

Também a arma do crime e invólucros de tiros não foram encontrados nas imediações do cenário do crime, o que leva a PJ a pensar que poderá ter ocorrido noutro local, ou pelo menos no exterior da própria carrinha.

PJ não descarta motivos passionais mas cobrança de dívida parece ser motivo mais forte

O facto do corpo de António Costa ter sido encontrado junto ao Motel Horly, não afasta hipótese de motivos passionais na origem do crime. Ao V, vizinhos e familiares da vítima indicaram que António Costa poderia ter granjeado alguns problemas.

Questionado pelo V, no Posto de Combustível de Moure, se teria inimigos, um primo direto da vítima, que prefere manter anonimato, retorquiu “todos nós temos inimigos e ele não era diferente”. “Já era esperado algo assim”, indicou o mesmo familiar, não revelando no entanto os motivos para achar que tal desfecho seria expectável.

Segundo o Correio da Manhã de hoje, outros empresários de Braga estão “com medo”. O jornal avança que há outros empresários que acham que isto pode ser uma cobrança de dívida por parte de gente perigosa, e que isso os está a deixar com medo de aparecerem em público.

António Costa vai hoje a enterrar em Moure

O funeral de António Costa realiza-se esta sexta-feira, pelas 18:00 horas, na igreja velha de Moure, em Vila Verde.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista

Deixar um comentário