Braga Destaque País Região Vila Verde

IPMA. Braga em aviso laranja devido à tempestade “Ana”

Redação
Escrito por Redação

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou na sexta-feira à noite Braga, e todos os distritos de Portugal Continental sob aviso laranja a partir de domingo, devido à previsão de chuva e vento fortes, queda de neve e agitação marítima, fruto de uma tempestade que se desloca de norte para sul, vinda da Irlanda, e que foi batizada com o nome “Ana”.

Esta é a primeira tempestade a receber batismo com um nome, encontrado em conjunto entre Portugal, Espanha e França, países que a partir da “Ana”, passam a batizar todas as tempestades que ameacem os três países.

“Ana” entra pelo norte do país

De acordo com informação disponibilizada no ‘site’ do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o aviso entra em vigor durante a manhã nos distritos do norte avançando ao longo do dia até ao sul do continente, mantendo-se até à madrugada de segunda-feira.

O aviso laranja é o segundo mais grave de uma escala de quatro

O IPMA prevê para domingo nas regiões norte e centro “céu em geral muito nublado com períodos de chuva, sendo por vezes forte no Minho a partir do meio da manhã e gradualmente nas restantes regiões a partir da tarde”.

O vento deverá soprar “fraco a moderado aumentando gradualmente para forte com rajadas até 100 quilómetros por hora (km/h) a partir do final da manhã”. “Nas terras altas, o vento será forte, com rajadas até 80 km/h, aumentando gradualmente para forte a muito forte com rajadas até 120 km/h a partir do final da manhã”, lê-se no ‘site’ do IPMA.

A queda de neve está prevista nos distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda e Castelo Branco.

Na região Sul, no domingo, o IPMA prevê “céu em geral muito nublado”, com “períodos de chuva em geral fraca, tornando-se moderada, por vezes forte, para o final do dia”.

O vento deverá soprar “fraco a moderado, tornando-se gradualmente moderado a forte com rajadas até 90 km/h, a partir da tarde”, sendo que nas terras altas o vento “será moderado a forte, tornando-se gradualmente forte com rajadas até 100 km/h”.

Para todo o território continental está prevista “neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais”.

A previsão de agitação marítima abrange todos os distritos com costa.

AVISOS

Prevê-se um aumento da altura significativa das ondas a partir de dia 10, com valores entre 5 e 6 metros, podendo chegar a 10 metros de altura máxima.

Tendo em conta as previsões meteorológicas, a Proteção Civil alerta para o piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo, para a possibilidade de cheias rápidas em meio urbano devido a acumulação de águas pluviais ou insuficiência de escoamento dos sistemas de drenagem e para a possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis.

São também expectáveis inundações de estruturas urbanas subterrâneas devido a deficiências de drenagem, danos em estruturas montadas ou suspensas, dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente em períodos de preia-mar, e a possibilidade de queda de ramos ou de árvores, fruto de vento mais forte.

A ANPC alerta ainda para a possibilidade de acidentes na orla costeira e para a ocorrência de fenómenos geomorfológicos causados por instabilidade de vertentes, devido à saturação dos solos e à perda de consistência.

A ANPC recomenda à população que tome diversas medidas de prevenção e que adeque os seus comportamentos às condições meteorológicas, designadamente, “garantindo a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e remoção de inertes e de outros objetos suscetíveis de serem arrastados ou que possam criar obstáculos ao livre escoamento das águas”.

A Proteção Civil pede aos automobilistas que adotem uma condução defensiva, reduzindo a velocidade, com especial cuidado com a acumulação de neve e a formação de lençóis de água nas vias, e adverte para que evitem atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos escondidos no pavimento ou caixas de esgoto abertas.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil pede ainda aos condutores para que tenham especial cuidado quando circulem ou permaneçam junto a áreas arborizadas, por haver o risco da queda de ramos ou de árvores devido ao vento forte.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação