Braga Destaque Vila Verde

Tribunais. Grupo de Braga vence batalha contra gigante australiana

Staff e advogados da Lusorecursos à saída do Tribunal de Braga
Fernando André Silva

A empresa Lusorecursos, sediada em Real, concelho de Braga, e que deu os primeiros passos na freguesia de Soutelo, em Vila Verde, travou até esta semana uma batalha no tribunal contra uma multinacional australiana pelos direitos de exploração de lítio em Montalegre, como avançou em destaque o Semanário V, na edição 97, de 22 de novembro.

Segundo o processo, a que o V teve acesso, a empresa australiana [Dakota Minerals], defendida pelo antigo Ministro da Defesa do governo PSD, Aguiar Branco, alega que a empresa portuguesa está “em situação desesperada” e que não tem “capacidade para explorar” as minas de lítio em Montalegre.

No entanto, o Juiz deu razão à Lusorecursos que, um dia antes da primeira sessão para audição de testemunhas, enviou um pedido ao Governo para renovar o direito de explorar aquelas jazidas durante mais cinco anos, o que motivou a que a sessão fosse adiada.

A Lusorecursos já detinha o direito de procurar lítio naquela área mas acabou por celebrar um contrato com a Dakota Minerals para a prospeção inicial. A empresa australiana terá ficado satisfeita com os testes e tentou comprar a empresa portuguesa por cerca de um milhão de euros, uma vez que a Lusorecursos não possui capital próprio para este tipo de investimento. Esse foi também o valor da providência cautelar levada a tribunal.

No entanto, e ao que o V apurou, a Lusorecursos vai recorrer a investidores externos à empresa, sem, no entanto, perder o controle maioritário neste grupo bracarense.

Entretanto, o Juiz acabou por ouvir testemunhas e advogados de ambas as empresas e deu razão ao grupo mineiro de Braga, que terá provado ter já vários investidores para cobrir todos os gastos com a exploração do novo petróleo, o lítio, bastante procurado para baterias elétricas no mercado da mobilidade e transportes.

Ao que o V apurou, a empresa tem já alguns nomes de corporações multinacionais que demonstram interesse no lítio extraído das minas em Sepeda, sendo a americana Tesla uma delas. Também corporações chinesas ligadas às energias estão “atentas” ao desenvolvimento da exploração do lítio transmontano.

A Lusorecursos deu os primeiros passos na freguesia de Soutelo, onde tinha sede no Instituto Empresarial do Minho, com um capital inicial de 5 mil euros. As previsões de mercado apontam que a empresa deve, a breve prazo, atrair investimento na casa das centenas de milhões de euros.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista