Desporto Destaque Vila Verde

Exclusivo. Isidro Fernandes reage à polémica das penhoras no Vilaverdense

Foto: Estúdios Lima / Joaquim Lima
Fernando André Silva

Manuel Leão, antigo presidente da direção do Vilaverdense FC, vai reagir em comunicado às acusações de que tem sido alvo por parte do clube durante os últimos dias.  Isidro Fernandes, seu sucessor, já reagiu em declarações ao V, desvendando um pouco da situação que levou à penhora das receitas na Taça de Portugal.

A polémica surge depois de a atual direção do clube denunciar a penhora das receitas da Taça de Portugal, devido a uma dívida contraída pela direção de Manuel Leão, no Vilaverdense FC, e que terá depois passado para a direção de Isidro Fernandes, que a assumiu, mas, e após “falhas” de pagamento de Manuel Leão, deixou de ser paga.

Segundo Isidro Fernandes antigo presidente que sucedeu a Manuel Leão em 2014, quando “pegou” no clube, o mesmo estava impedido de abrir contas em bancos por causa desta dívida ao Montepio, que já existia. “O clube tinha uma dívida a descoberto de 42 mil euros com o aval pessoal do Sr. Leão”, refere.

“Chegámos a andar semanas com cheques no bolso sem ter forma de os depositar”, diz anda Isidro Fernandes, explicando que na altura, haviam duas soluções possíveis.

“Ou fazíamos um acordo com o banco para pagar a dívida às prestações ou então seguíamos por caminho judicial”, alega o antigo presidente, explicando que “em reunião de direção foi decidido fazer um acordo com o banco”, e que “esta direção [a de Eduardo Milhão] sabia da situação ainda antes de terem tomado posse”.

Ao Semanário V, Isidro Fernandes aponta ainda que “foi chegado a um acordo com o Sr. Leão para que o mesmo ajudasse com uma quantia mensal para podermos abater a dívida, num acto de boa fé por parte dele, mas a verdade é que chegou a uma altura em que deixou de cumprir com o prometido”.

“Foi aí que decidimos deixar de pagar a dívida ao Montepio para pressionar o Sr. Leão, mas entretanto entrou esta nova direção”, apontou ainda o antigo dirigente, comentando o comunicado da atual direção do Vilaverdense FC, que refere a penhora devido a uma dívida de 45 mil euros pertencente a Manuel Leão.

“O tesoureiro é o mesmo, não percebo toda esta indignção por parte da atual direção, mas nem sequer vou comentar”, apontou o antigo dirigente, salientando no entanto que “é ridículo dizer-se que a dívida é do Sr. Manuel Leão. A dívida é do clube, será sempre o clube, e nunca pode ser do presidente”, finalizou.

Manuel Leão vai reagir através de comunicado

O antigo presidente [Manuel Leão], que foi agora acusado pela atual direção de ser o principal responsável pelo não pagamento de uma dívida ao Montepio Geral, que culminou com a penhora das receitas que o clube conseguiu nesta edição da Taça de Portugal, por parte daquele banco, vai reagir através de comunicado.

O antigo presidente disse ao Semanário V que vai responder à denúncia do clube, mas apenas na próxima semana. “Estive ontem em contacto com o meu advogado e decidimos elaborar um comunicado que vai ser divulgado durante a próxima semana”, indicou Manuel Leão. “Até lá não quero falar sobre o assunto”, vincou.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista