Destaque Região Vila Verde

Vila Verde. Exploração de ouro vai criar 50 postos de trabalho em 2018

Fernando André Silva

O grupo mineiro de Braga, Lusorecursos, vai iniciar a exploração de ouro em Vila Verde a partir de 2018, entre Marrancos e Godinhaços, depois de ter apresentado à Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) um pedido de licença de exploração para uma mina de ouro, em Marrancos, Vila Verde, confirmou o Semanário V.

Esta exploração, e ao que o V apurou, deverá criar entre 50 a 60 postos de trabalho, entre vigilantes, condutores-manobradores, operadores de máquina e outros cargos de trabalhos manuais.

A empresa pretende recrutar trabalhadores da região, à semelhança como tem feito em Montalegre, nas mínias de lítio, tendo assegurado isso em conversações com fonte governativa.

Há ainda uma forte possibilidade da empresa em questão fazer um investimento a curto prazo, noutro âmbito, no concelho de Vila Verde e na região de Braga, apurou o V.

O arranque da exploração dá-se, e segundo previsões da empresa, no final de janeiro 2018, após todas as licenças serem aprovadas.

A empresa assegurou à DGEG, no pedido enviado, que tem especialistas para garantir o sucesso da operação, pese o facto de nunca terem explorado este tipo de minério.

ouro (3)

Local já estava sinalizado desde o tempo do Império Romano

No local onde a empresa montou a sede da exploração, junto ao Monte da Guia, em Marrancos, é visível algumas marcas que remontam ao tempo do Império Romano, que explorou, de forma rudimentar, a extração de ouro daquelas minas.

ouro (5)

Segundo estudos disponíveis para consulta na DGEG, também em 1988 houve uma empresa que esteve no local para fazer deteção de ouro e obteve resultados positivos, não tendo no entanto avançado com a exploração.

Alguns proprietários de terrenos na freguesia de Marrancos confirmaram que a Lusorecursos já pediu autorização para prospeção e avançou com ofertas para a compra de alguns dos terrenos.

Tubo de carotagem

Tubo de carotagem

O processo de aquisição por parte da Lusorecursos deverá ser lento e nem todos os proprietários do espaço, entre Marrancos e Godinhaços, deverão ceder o terreno para venda.

Alguns estarão mesmo abandonados e deverão ser alvo de expropriação por parte do estado para que a exploração possa avançar já a partir de 2018.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista